Portal interativo e democrático com informações rápidas e significativas sobre as atividades acadêmicas e docentes vinculadas ao Curso de Pedagogia da Universidade do Estado do Amapá

Manual Acadêmico- 2017

Clique aqui e baixe seu Manual do Aluno – Curso de Pedagogia 2017.docx

 

 

 

 

 

 

 

 

É porque podemos transformar o mundo, que estamos com ele e com outros. Não teríamos ultrapassado o nível de pura adaptação ao mundo se não tivéssemos alcançado a possibilidade de, pensando a própria adaptação, nos servir dela para programar a transformação.”
(Paulo Freire, 2000.)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ

CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA

Campus II: Av. Duque de Caxias, 60 – Centro | CEP: 68.900-071

Querido(a) acadêmico(a),

 Recebemos você com grande compromisso educacional, na Universidade do Estado do Amapá, no curso de licenciatura em Pedagogia. A caminhada no curso de pedagogia é um processo ímpar de construção para o profissional que atuará na educação básica e nos ambientes não-escolares.

 Somos responsáveis pela formação do pedagogo que tem o compromisso de educar as crianças da creche à primeira etapa do ensino fundamental, atuar na gestão como coordenador pedagógico e nos ambientes não- escolares, como nas empresas, Ongs, classes hospitalares, assentamentos e outros processos que necessitam do pedagogo.

O Colegiado de pedagogia oferece o curso de forma regular e na modalidade modular, no qual trabalha com o  Plano Nacional de Formação de Professores -PARFOR, na formação de profissionais que já atuam na educação básica sem a certificação de pedagogo. O curso discute a formação desse profissional na dimensão política, social e cultural, na constituição de um educador que trabalhe com a realidade do contexto, na proposta interdisciplinar. Formamos o profissional para ser crítico e político na construção de sua identidade como sujeito transformador de sua prática e protagonista do saber para possibilitar as mudanças necessárias.

Gostaríamos de parabenizá-lo por haver ingressado em um dos melhores curso da Universidade do Estado do Amapá e desejamos que seja o início de uma caminhada acadêmica integrando-se às diversas atividades de ensino, pesquisa e extensão com grandes produções pedagógicas e científicas, pois você será co-autor da história educacional que vamos juntos construir.

 Seja bem-vindo (a)!

                                                                                                        

Angela do Céu Ubaiara Brito

Coordenadora do Curso de Pedagogia

 

ÍNDICE 

 

CONHECENDO O NOSSO CURSO DE PEDAGOGIA.. 5

QUEM FORMAMOS?. 6

FORMAS DE INGRESSO.. 6

REGIME DE MATRICULA.. 6

CARGA HORÁRIA.. 6

MATRIZ CURRICULAR REGULAR. 8

EMENTAS E BIBLIOGRAFIA DE REFERÊNCIA.. 12

GRUPO DE PESQUISAS. 51

DOCENTES DO CURSO DE PEDAGOGIA.. 53

 


 

CONHECENDO O NOSSO CURSO DE PEDAGOGIA

 

 

O curso de pedagogia nasce do compromisso e da responsabilidade de investir na educação e na produção de conhecimentos associados à realidade local, regional, nacional e global, contribuindo assim com a formação do cidadão, capaz de dar respostas positivas às demandas da sociedade amapaense. Assim, ofertamos o curso nos regimes regular e modular. O regime modular é ofertado por meio da Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica (PARFOR) presencial com as adaptações necessárias para o atendimento às demandas do Decreto n. 6.755 de 2009, objeto de convênio entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e a UEAP, celebrado desde o ano de 2009.

 

A implantação do Curso de Licenciatura em Pedagogia na UEAP reafirma o compromisso da política institucional com a elevação dos patamares educacionais em nível local, além do que, com esta ação, fecha-se o circuito de oferta da educação pública pelo Estado nos dois níveis propostos na legislação vigente: Educação Básica já universalizada no Estado e Ensino Superior, em processo de implantação, que coloca o Amapá em situação de possibilidades de inovação tecnológica e educacional, fortalecendo a formação de profissionais que irão atuar desde a educação infantil ao ensino superior.

 

Destaca-se que a demanda por sólida formação docente faz com que o Curso de Pedagogia seja um importante elo para a discussão e implantação futura de novos cursos de Licenciatura na UEAP, considerando a concepção de que a formação do professor deve se realizar na universidade, com a garantia da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão.

 

Por essa razão, o Curso de Pedagogia é uma referência educacional no que concerne à formação inicial para o exercício da docência na Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental, na área de serviços e apoio escolar, em cursos de Educação Profissional, bem como em outras áreas nas quais sejam previstos conhecimentos pedagógicos; e ainda a formação de profissionais de educação para a gestão, planejamento, inspeção, supervisão e orientação educacional para a educação básica. Essa formação abrange de forma integrada a docência, a participação na gestão e avaliação de sistemas e instituições de ensino, elaboração, execução e acompanhamento de programas a atividades educativas (CNE, Parecer nº. 05/2005).

 

A organização do nosso curso tem como base legal o Parecer nº. 05/2006, a Resolução CNE/CP n.º 1, de 15 de maio de 2006 que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura e também o art. 64 da LDBEN. As novas exigências do mundo do trabalho, aliadas à necessária capacidade de estabelecer relações, sistematizar, generalizar, compreender modelos, estabelecer relações de previsibilidade e contextualizar ações, apresentam-se como condições fundamentais tanto para a continuidade dos estudos quanto para a compreensão das relações sociais que permeiam o sistema educacional. Desse modo, o currículo atende criticamente essas necessidades nos princípios norteadores: trabalho pedagógico como eixo da formação; sólida formação teórica; pesquisa como forma de conhecimento e intervenção na realidade social; trabalho partilhado e coletivo; trabalho interdisciplinar; articulação teoria-prática.

 

QUEM FORMAMOS?

 

Formamos professores para o exercício da docência na Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Na Coordenação do Trabalho Pedagógico: Supervisão Escolar e Orientação Educacional para a Educação Básica. Na gestão de sistemas e instituições de ensino englobando: planejamento, execução, coordenação, acompanhamento e avaliação de tarefas próprias do setor e de projetos e experiências educativas não escolares. Na produção e difusão do conhecimento científico-tecnológico do campo educacional, em contextos escolares e não escolares.

FORMAS DE INGRESSO

 

Ensino regular: Mediante igualdade de condições, através Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), aberto a estudantes que tenham concluído o Ensino Médio ou equivalente, tendo por finalidade avaliar os candidatos quanto aos conhecimentos pertinentes aos componentes curriculares do respectivo nível de ensino, classificando-os para o preenchimento de vagas oferecidas.

Ensino modular atendido pelo PARFOR: É destinado, especificamente, aos selecionados via Plataforma Freire oriundos das redes pública de ensino, observadas as normas do PARFOR PRESENCIAL.

 

REGIME DE MATRICULA

 

Semestral

  • Fique atento aos avisos da Divisão de Registro Acadêmico – DRCA

 

CARGA HORÁRIA

 

Carga horária do Curso regular: Compreende 3.880 (três mil, oitocentos e oitenta) horas distribuídas em 62 disciplinas, sendo 3.000 (três mil) horas de atividades formativas, 420 (quatrocentos e vinte) horas de Prática Pedagógica, 360 (trezentos e sessenta) horas de Estágio Curricular Supervisionado e 100 (cem) horas de Atividades Teórico Práticas.

Carga horária do Modular atendido pelo PARFOR: Compreende 3.780 (três mil,

setecentos e oitenta) horas, distribuídas em 54 disciplinas, sendo 2.880 (dois mil oitocentos e oitenta) horas de atividades formativas, 380 (trezentos e oitenta) horas de Prática Pedagógica, 400 (quatrocentas) horas de Estágio Curricular Supervisionado e 100 (cem) horas de Atividades Teórico Práticas.

 

FIQUE ATENTO: o currículo poderá ser integralizado no período de oito semestres. Entretanto, você não deve se esquecer que algumas das atividades previstas no currículo devem ser desenvolvidas pelo acadêmico no contraturno, ou seja, pressupõe sua disponibilidade em realizá-las fora do horário previsto das aulas. Podemos citar como exemplo as Atividades Teórico-Práticas, a parte da carga horária destinada aos estágios curriculares obrigatórios e práticas pedagógicas.


 

MATRIZ CURRICULAR REGULAR

 

Matriz Curricular do Curso de Licenciatura em Pedagogia (Regular)

TOTAL DE DISCIPLINAS – 62 / CARGA HORÁRIA TOTAL DO CURSO – 3880 h

/ ATIVIDADES FORMATIVAS – 3.000 h / PRÁTICA PEDAGÓGICA – 420 h

ESTÁGIO SUPERVISIONADO – 360 h / ATIVIDADES TEÓRICO-PRÁTICAS – 100 h

 


 

1º SEMESTRE

 

DISCIPLINA C/H PRÉ-REQUISITO
Filosofia da Educação I 80
Fundamentos Sócio-antropológicos da Educação 80
História da Educação I 80
Psicologia da Educação I 80
Pressupostos Linguísticos I 80
Metodologia do Trabalho Científico 80
C/H TOTAL DO SEMESTRE 480

 

2º SEMESTRE

 

DISCIPLINA C/H PRÉ-REQUISITO
Filosofia da Educação II 60 Filosofia da Educação I
Sociologia da Educação 60
História da Educação II 60 História da Educação I
Psicologia da Educação II 60 Psicologia da Educação I
Didática e Formação Docente 80
Organização e Legislação da Educação Brasileira 80
Prática Pedagógica I – Enfoque: Análise do contexto escolar 60
C/H TOTAL DO SEMESTRE 460

 

3º SEMESTRE

 

DISCIPLINA C/H PRÉ-REQUISITO
Fundamentos Teórico-metodológicos da Educação Infantil 60
Educação Inclusiva 60
Teorias do Currículo 60
Psicogênese da Linguagem Oral e Escrita 60 Psicologia da Educação II
Proposta Pedagógica Curricular para a Educação Infantil 60
Planejamento Educacional na Educação Infantil e Anos Iniciais 60
Fundamentos Teórico-metodológicos de Língua Portuguesa para Educação Infantil e Anos Iniciais 60
Prática Pedagógica II – Enfoque: Creche 60 Prática Pedagógica I
C/H TOTAL DO SEMESTRE 480

 

 

4º SEMESTRE

 DISCIPLINA C/H PRÉ-REQUISITO
Avaliação Educacional na Educação Infantil e Anos Iniciais 60
Corporeidade e Ludicidade na Educação Infantil e Anos Iniciais 60
Educação, Diversidade e Interculturalidade 60
Arte e Educação 60
Literatura Infanto-juvenil 60
Fundamentos Teórico-metodológicos da Língua Brasileira de Sinais 60
Fundamentos Teórico-metodológicos do Sistema de Leitura de Braille 60
Prática Pedagógica III – Enfoque: Anos Iniciais do Ensino Fundamental (Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva) 60 Prática Pedagógica II
C/H TOTAL DO SEMESTRE 480

 

5º SEMESTRE

 

DISCIPLINA C/H PRÉ-REQUISITO
Fundamentos Teórico-metodológicos de Matemática para Educação Infantil e Anos Iniciais 60
Fundamentos Teórico-metodológicos de Ciências para Educação Infantil e Anos Iniciais 60
Fundamentos Teórico-metodológicos de História para Educação Infantil e Anos Iniciais 60
Fundamentos Teórico-metodológicos de Geografia para Educação Infantil e Anos Iniciais 60
Fundamentos Teórico-metodológicos da Educação de Jovens e Adultos 60
Pressupostos Linguísticos II 60 Pressupostos Linguísticos I
Estágio Supervisionado na Educação Infantil 80
Prática Pedagógica IV – Enfoque: Pré-escola 60 Prática Pedagógica III
C/H TOTAL DO SEMESTRE 500

 

6º SEMESTRE

 

DISCIPLINA C/H PRÉ-REQUISITO
Tecnologia, Informática e Educação 40
Sociedade, Trabalho e Educação 60
Educação do Campo 60
Educação Indígena 60
Educação em Comunidades Afro-descendentes 60
Metodologia da Pesquisa em Educação 60
Estágio Supervisionado nos Anos Iniciais e EJA do Ensino Fundamental 100
Prática Pedagógica V – Enfoque: Anos Iniciais e EJA do Ensino Fundamental (Educação do Campo, Educação Indígena e Educação em Comunidades Afro-descendentes) 60 Prática Pedagógica IV
Atividades Teórico-práticas I 30
C/H TOTAL DO SEMESTRE 530

 

7º SEMESTRE

 

DISCIPLINA C/H PRÉ-REQUISITO
Gestão de Sistemas e Unidades Educacionais 60
Fundamentos da Orientação Educacional 60
Fundamentos da Supervisão Escolar 60
Pedagogia em Ambientes Não-escolares 60
TCC I 60
Estágio Supervisionado na Gestão de Unidades Escolares e Coordenação Pedagógica 100
Prática Pedagógica VI – Enfoque: Gestão de Unidades Escolares e Coordenação Pedagógica 80 Prática Pedagógica V
Atividades Teórico-práticas II 30
C/H TOTAL DO SEMESTRE 510

 

8º SEMESTRE 

DISCIPLINA C/H PRÉ-REQUISITO
Educação Ambiental e Biodiversidade 60
Projetos e Eventos Sócio-educacionais 60
Estatística Aplicada à Educação 40
TCC II 60
Educação e Direitos Humanos 40
Estágio Supervisionado em Ambientes Não-escolares 80 Pedagogia em Ambientes Não-escolares
Prática Pedagógica VII – Enfoque: Pedagogia em Ambientes Não-escolares 60 Prática Pedagógica VI
Atividades Teórico-práticas III 40
C/H TOTAL DO SEMESTRE 440

 


 

EMENTAS E BIBLIOGRAFIA DE REFERÊNCIA

 

FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO I
Regular
Semestre: 1º
Carga horária: 80h.
EMENTA: Conceitos e problemas fundamentais da Filosofia. A Filosofia das ciências. A Filosofia e sua relação com a cultura. A verdade e as possibilidades do conhecimento. As Ciências Humanas. As relações do homem na e com a Sociedade e a Política. A conduta humana, os valores, a existência do ser e a Educação. Filosofia e Filosofia da Educação. Pressupostos filosóficos que fundamentam as concepções de educação.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. São Paulo. Brasiliense, 2001.

GADOTTI, Moacir. Educação Contra a Educação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

KOYRE, A. Estudos de História do Pensamento Filosófico. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1991.

LUCKESI, C. Cipriano. Filosofia da Educação. São Paulo: Cortez, 1994 (Coleção magistério 2º grau – Série formação do professor).

MENDES, Durmeval (org.). Filosofia da Educação Brasileira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1983.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

DEMO, Pedro. Educação e Qualidade. São Paulo: Papirus, 2000.

LUCKESI, Cipriano. Introdução à Filosofia. 10. ed. São Paulo: Cortez, 2004.

MARCONDES, Danilo. Iniciação à História da Filosofia: dos pré-socráticos a Wittgenstein. 10. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

 

 

FUNDAMENTOS SOCIOANTROPOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO
Regular
Semestre: 1º
Carga horária: 80h.
EMENTA: As teorias sociológicas clássicas e suas contribuições para a explicação da realidade social, especialmente a questão educacional. Aplicabilidade da abordagem sociológica para o campo da educação. Estudo das relações sociedade x educação x escola na perspectiva das teorias funcionalista, crítico-reprodutivista e da teoria crítica. Os processos sociais que envolvem a produção de culturas diversas entre os homens. As relações entre os processos sociais e culturais. A concepção antropológica da cultura. Análise socioantropológica da sociedade, da educação, da família, etc. Família e educação. Escola única e escola para todos: escola pública e escola privada. Escola e seletividade social.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

APLE, Michael W. Educação e Poder. Porto Alegre: Artes Médicas, 1988.

 

FORQUIN, Jean Claude (org.) Sociologia da Educação: dez anos de pesquisa. 5. ed. DP&A, 2004.

 

GADOTTI, Moacir. Educação e Poder: introdução à pedagogia do conflito. São Paulo: Cortez, 1991.

 

GOMES, Cândido Alberto. Educação em Perspectiva Sociológica. São Paulo, E.P.U., 1994.

 

GONZÁLEZ, L. J. F.; DOMINGOS, T. R. E. Cadernos de Antropologia da Educação: linguagem, sociedade e educação. Vol. 5. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

BOAS, F. Antropologia Cultural. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2004.

 

FREIRE, P. Educação e Mudança. 21. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1997.

 

LARAIA, R. B. Cultura: um conceito antropológico. 7. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2004.

 

 

HISTORIA DA EDUCAÇÃO I
Regular
Semestre: 1º
Carga horária: 80h.
 

EMENTA: História e História da Educação. Objeto de estudo e método em História da Educação.  Objetivos, significados e conteúdos das instituições educacionais na Antigüidade Clássica, Idade Média, Renascimento, Séculos XVIII e XIX. O processo educacional nos séculos XX e XXI. Estudos da educação brasileira nos diferentes momentos históricos.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ALMEIDA, J. R. P. História da Instrução Pública no Brasil (1500 a 1889). Brasília, DF: INEP/ MEC, 1989.
MANACORDA, Mario Alighiero. História da Educação: da Antiguidade aos nossos dias. 11. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

 

CAMBI, Franco. História da Pedagogia. São Paulo: UNESP, 1999.
GADOTTI, Moacir. História das Ideias Pedagógicas. 8. ed. São Paulo: Ática, 2005.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

ALTHUSSER, Louis. Sobre a reprodução. Rio de Janeiro: Vozes, 1999.

 

LUZIRIAGA, L. História da Educação e da Pedagogia. São Paulo: Nacional, 1990.

 

PIMENTA, Selma G. Pedagogia, Ciência da Educação?. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

 

 

PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO I
Regular
Semestre: 1º
Carga horária: 80h.
 

EMENTA: Origens filosóficas da Psicologia. A constituição da Psicologia como ciência e sua contribuição no estudo do desenvolvimento humano e do processo de aprendizagem. Concepções de desenvolvimento: inatismo, ambientalismo e interacionismo. Diferentes visões de homem e de mundo. As abordagens psicológicas dos processos de desenvolvimento e aprendizagem com seus principais representantes: comportamentista (Burrhus Skinner), gestaltista (Max Wertheimer, Wolfgang Köhler e Kurt Koffka), psicanalítica (Sigmund Freud), humanística (Carl Rogers) e construtivistas (Henri Wallon, Jean Piaget e Lev Vygotsky) e contribuições para a educação.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

BOCK, Ana Bahia. Psicologias: uma introdução ao estudo da Psicologia. 13 ed. São Paulo: Saraiva, 2002.

 

GOULART, Íris Barbosa. Psicologia da Educação: fundamentos teóricos – aplicações à prática pedagógica. 11 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

 

GALVÃO, Isabel. Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. São Paulo: Vozes, 1995.

 

KUPFER, Maria Cristina. Freud e a Educação: o mestre do impossível. São Paulo: Scipione, 1995. (Série Pensamento e ação no magistério)

 

REGO, Teresa Cristina. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995. (Educação e conhecimento).

 

SEBER, Maria da Glória. Piaget: o diálogo com a criança e o desenvolvimento do raciocínio. São Paulo: Scipione, 1997. (Pensamento e Ação no Magistério)

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

BRAGHIROLLI, Elaine Maria (et al.). Psicologia Geral. 18. ed. Petrópolis: Vozes, 1995.

 

LAJONQUIÈRE, Leandro de. De Piaget a Freud: para repensar as aprendizagens. A (psico) pedagogia entre o conhecimento e o saber. Petrópolis, RJ: Vozes, 1992.

 

VYGOTSKY, L. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

 

 

 

PRESSUPOSTOS LINGUÍSTICOS I PRESSUPOSTOS LINGUÍSTICOS
Regular
Semestre: 1º
Carga horária: 80h.
 

EMENTA: Concepção de linguagem, língua e fala. A definição e objeto de estudo de da Lingüística, considerando a abordagem historicista, estruturalista, funcionalista e gerativista. Linguagem e comunicação. As funções da linguagem. As modalidades da língua. Os gêneros textuais. Coerência e coesão. Linguagem e sociedade: a variação lingüística e o registro. A competência lingüística e a competência comunicativa.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ANDRADE, Maria Margarida; Henriques, Antonio. Língua Portuguesa: noções básicas para cursos superiores. São Paulo: Atlas, 1992.

 

ANTUNES, Irandé. Lutar com Palavras: coesão e coerência. São Paulo: Parábola, 2005.

 

KOCH, I. V. A coesão Textual. São Paulo: Contexto, 1991. (Coleção Repensando a Língua Portuguesa).

 

_______. A coerência Textual. 6. ed. São Paulo: Contexto, 1995 (Coleção Repensando a Língua Portuguesa).

 

LYONS, J. Linguagem e Linguística: uma introdução. Rio de Janeiro: LTC, 1987.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

BERTIL, M. As Novas Tendências da Linguística: uma introdução à linguística moderna. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1971.

 

BETH, Brait (org.). Bakhtin: conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2005.

 

BORBA, Francisco da Silva. Introdução aos Estudos Linguísticos. São Paulo: Nacional, 1984.

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO
Regular
Semestre: 1º
Carga horária: 80h.
EMENTA: Ciência e conhecimento científico. Métodos científicos. Tipos de Pesquisa.  Princípios Teórico-metodológicos e proposições frente às correntes epistemológicas na produção de conhecimento científico e de prática em produção científico-acadêmica. Abordagens qualitativas e quantitativas. Técnicas de elaboração do trabalho científico.  Metodologia voltada para a produção de trabalhos acadêmicos. Normatização, estrutura e configurações segundo a ABNT.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

DEMO, Pedro. Educar pela Pesquisa. Coleção educação contemporânea. Campinas: Autores Associados, 2000.

 

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar Projeto de Pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

 

LAKATOS, Eva Maria. Metodologia do Trabalho Científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

 

MEDEIROS, João B. Redação Científica: a prática de fichamentos, resumos, resenhas. São Paulo: Atlas, 2008.

 

TEIXEIRA, Elizabeth. As Três Metodologias: acadêmica, da ciência e da pesquisa. 4. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

FAZENDA, Ivani. (Org.). A Pesquisa em Educação e as Transformações do Conhecimento. 9. ed. Campinas: Papirus, 2007.

 

RUIZ, João Álvaro. Metodologia Científica: guia para eficiência nos estudos. São Paulo: Atlas, 1999.

 

TRIVIÑOS, Augusto. Introdução à Pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em Educação. São Paulo: Atlas, 2004.

 

 

 

FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO II
Regular
Semestre: 2º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: O homem e suas relações com o mundo. A Práxis educativa contemporânea. A Filosofia da Educação e sua relação com a Educação Brasileira Contemporânea. Educação Libertadora enquanto Projeto Político-Social. Pensamento Pedagógico Brasileiro. Antropologia Filosófica e Educação.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

COTRIM, Gilberto. Fundamentos da Filosofia: história e grandes temas. 15. ed. São Paulo: Saraiva, 2000.

 

BUZZI, Arcângelo. Introdução ao Pensar. 22. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

MARCONDES, Danilo. Iniciação à História da Filosofia: dos pré-socráticos a Wittgenstein. 4. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

NUNES, Benedito. A Filosofia Contemporânea. São Paulo: Ática, 1991.

 

PAIN, A. O Estudo do Pensamento Filosófico Brasileiro. São Paulo: Convívio, 1985.

 

 

SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO
Regular
Semestre: 2º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Elementos da abordagem sociológica na análise da educação. Compreensão da relação indivíduo e sociedade e o papel da escola no processo de socialização. Análise da divisão do trabalho e a formação das classes sociais. Relação entre cultura, ideologia e a instituição escolar. O papel da educação na dialética da transformação e/ou da reprodução social. Contextualização das contribuições da produção sociológica recente à análise da educação contemporânea.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ALTHUSSER, L. Aparelhos Ideológicos de Estado. Rio de Janeiro: Vozes, 1999.

AQUINO, J. G. Diferenças e Preconceito na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus Editorial. 1998.

 

CARVALHO, A. B.; SILVA, W. C. L. (orgs.). Sociologia e Educação: leituras e interpretações. São Paulo: Avercamp, 2006.

 

DURKHEIM, É. Educação e Sociologia. 11. ed. São Paulo: Melhoramentos, 1978.

 

RODRIGUES, A. T. Sociologia da Educação. Rio de Janeiro: DP&A. 2001.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

ARON, R.. As etapas do Pensamento Sociológico. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003 (coleção Tópicos).

 

MORROW, R. A.; Torres, C. A. Teoria Social e Educação. Porto: Afrontamento, 1997.

 

PETITAT, A. Produção da Escola/Produção da Sociedade. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

 

 

 

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO II
Regular
Semestre: 2º
Carga horária: 60h.
EMENTA: Estudos da educação brasileira nos diferentes momentos históricos. A história da educação amapaense. As políticas educacionais e a questão da educação das crianças. A história social da criança e da família. História e a historiografia da educação brasileira frente às diversidades no mundo contemporâneo.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ALTHUSSER, Louis. Sobre a Reprodução. Rio de Janeiro: Vozes, 1999.

 

DEMO, Pedro. Política Social, Educação e Cidadania. 10. ed. Campinas: Papirus, 2007.

 

LIBÂNEO, José. Democratização da Escola Pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. 3. ed. São Paulo: Loyola, 1996.

 

RIBEIRO, Maria Luisa Santos. História da Educação Brasileira: a organização escolar. 17. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2001.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

KULMANN JUNIOR, M. 500 Anos de Educação no Brasil. Belo Horizonte. Autêntica, 2000.

 

SAVIANI, Dermeval. Educação Brasileira: estrutura e sistema. Campinas: Autores Associados, 1996.

 

XAVIER, Maria Elizabete S. Prado. História da Educação: a escola no Brasil. São Paulo: FTD, 1994.

 

 

 

PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO II
Regular
Semestre: 1º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: As múltiplas dimensões do desenvolvimento infantil: motora, afetiva e cognitiva. Relação desenvolvimento e aprendizagem.  Significado e sentido na aprendizagem escolar: a Teoria da Aprendizagem Significativa de David Ausubel. Processos psicológicos básicos: sensação, percepção e motivação. Compreensão da personalidade. Importância do grupo e sua formação. Funcionamento, papéis e a relação família-escola, afetividade e meios de comunicação. Inteligências Múltiplas e Inteligência Emocional.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ALENCAR, Eunice M. L. Soriano de. Psicologia: introdução aos princípios básicos do comportamento. Petrópolis: Vozes, 1980.

 

ANTUNES, Celso. Alfabetização Emocional. São Paulo: Terra Editora, 1996.

 

COUTINHO, Maria Tereza da Cunha; MOREIRA, Mércia. Psicologia da Educação: um estudo dos processos psicológicos de desenvolvimento e aprendizagem humanos, voltado para a educação: Ênfase nas abordagens interacionistas do psiquismo humano. 10 ed. rev. e ampl. Belo Horizonte: Formato Editorial, 2004.

 

GOULART, Íris Barbosa. Psicologia da Educação: fundamentos teóricos – aplicações à prática pedagógica. 11 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

 

SCHULTZ, Duane P; SCHULTZ, Sydney Ellen. História da Psicologia Moderna. 8 ed. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.

 

 

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

BOCK, Ana Bahia. Psicologias: uma introdução ao estudo da psicologia. 13 ed. São Paulo: Saraiva, 2002.

 

COLL, César; PALACIOS, Jesus; MARCHESI, Álvaro (org). Desenvolvimento Psicológico e Educação: psicologia evolutiva. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

 

BRAGHIROLLI, Elaine Maria (et al.). Psicologia Geral. 18. ed. Petrópolis: Vozes, 1995.

 

 

DIDÁTICA E FORMAÇÃO DOCENTE
Regular
Semestre: 2º
Carga horária: 80h.
 

EMENTA: Conceituação e evolução histórica da Didática enfocando os saberes e a multidimensionalidade assumida na formação do educador nas diferentes tendências pedagógicas. A Didática na dimensão homem, sociedade e escola, ressaltando o papel educativo da prática docente. Interdisciplinaridade, transdisciplinaridade e transversalidade. Aprendizagem significativa e conhecimentos prévios. Estratégias e recursos didáticos de ensino que viabilizem a eficácia no processo de aprendizagem.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

CANDAU, Vera Maria. A Didática em Questão. Petrópolis, RJ: Vozes, 1984.

CASTRO, Amélia Domingues e CARVALHO, Anna Maria Pessoa de (Orgs.). Ensinar a Ensinar: didática para a escola fundamental e média. São Paulo: Editora Pioneira Thomson Learning, 2001.

 

COMENIUS, J. A. Didática Magna. São Paulo, SP: Martins Fontes, 2002. (Coleção Paidéia).

 

FAZENDA, I (org). Didática e Interdisciplinaridade. Campinas, SP: Papirus, 1998.
LIBÂNEO, José Carlos. Didática. 21. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

 

MACHADO, Nilson J. Epistemologia e Didática: as concepções de conhecimento e inteligência e a prática docente. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

CAMPOS, Casemiro Medeiros. Saberes Docentes e Autonomia dos Professores. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2007.

 

FELDMAN, Daniel. Ajudar a Ensinar: relações entre didática e ensino. Porto Alegre: Artmed, 2001.

 

ZABALA, Antoni. A Prática Educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

 

 

 

ORGANIZAÇÃO E LEGISLAÇÃO DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA
Regular
Semestre: 2º
Carga horária: 80h.
 

EMENTA: A estrutura sócio-histórica do sistema escolar brasileiro: fundamentos legais, políticos e culturais. Resgate histórico dos principais documentos legais atinentes à educação, tais como a educação nas constituições brasileiras, as principais reformas do ensino e os embates em volta das Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. O Sistema Escolar Brasileiro. As mudanças da sociedade brasileira e as reformas de ensino. A LDB nº. 9394/96: Desafios e possibilidades. Função social da escola e a Nova LDB. O Projeto político-pedagógico. Novas exigências da formação profissional para o professor da educação básica. As novas diretrizes curriculares nacionais. O contexto socioeconômico-cultural e os processos educativos decorrentes das Políticas Públicas para a educação. Gestão democrática da educação.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

FÁVERO, Osmar (org.). A Educação nas Constituintes Brasileiras (1823-1988). Campinas: Autores Associados, 1996. (Coleção Memória da Educação).

 

SAVIANI, Demerval. A nova LDB: trajetórias, limites, perspectiva. Campinas: Autores Associados, 1997.

 

BRANDÃO, Carlos da Fonseca. LDB Passo a Passo. São Paulo: Avercamp, 2000.

 

DEMO, Pedro. Desafios Modernos da Educação. Petrópolis, Editora Vozes, 1993.

 

LIBÂNEO, José. Democratização da Escola Pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. São Paulo: Loyola, 1989.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

MENEZES. João Gualberto de carvalho et al. Estrutura e Funcionamento da Educação Básica: leitura. São Paulo: Pioneira, 1999.

 

SAVIANI, Demerval. Educação Brasileira: estrutura e sistema. São Paulo: Saraiva. 1979.

STREHL, Afonso; REQUIA, Ivony da Rocha. Estrutura e Funcionamento da Educação Básica. Porto Alegre: Editora Sagra, 2000.

 

 

PRÁTICA PEDAGÓGICA I
Regular
Semestre: 2º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Atividades orientadas e supervisionadas de iniciação profissional dos discentes nas unidades educacionais. Pesquisa e análise do contexto educativo e da prática docente.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

AZEVEDO, J. G; ALVES, N.G. Formação de Professores: possibilidades do imprevisível. Rio de Janeiro, DP&A, 2004.

 

CANDAU, V. M. Ensinar e Aprender: sujeitos, saberes e pesquisa. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

 

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários a prática educativa. 12 ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

 

VASCONCELOS, Celso dos S. Construção do Conhecimento em Sala de Aula. São Paulo: Libertad, 2002.

 

PERRENOUD, Philippe. A pedagogia na Escola das Diferenças: fragmentos de uma sociologia do fracasso. Porto alegre: Artmed, 2001.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

KINCHELOE, Joe. A Formação do Professor como Compromisso Político: mapeando o Pós-moderno. Porto Alegre, Artmed. 1997.

 

PIMENTA, Selma Garrido (org). Saberes Pedagógicos e Atividades Docentes. São Paulo: Cortez,1999.

 

SHORES, Elisabeth; GRACE, Cathy. Manual do Portfólio: um guia passo a passo para o professor. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

 

 

FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL
Regular
Semestre: 3º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Infância: Diferentes concepções. Considerações sobre a Educação Infantil (creche e pré-escola), abordando suas contextualização, objetivos, e contribuições teórico-filosóficas. Políticas de atendimento à infância. Abordagens sobre a criança em seus vários aspectos. O papel do brinquedo e da brincadeira na infância. A escola para a Educação Infantil: entrevista com os pais, adaptação escolar, planejamento e avaliação. Metodologias para a ação educativa.

 

Bibliografia BÁSICA

 

ARIÈS, Philippe. História Social da Criança e da Família. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2006.

 

KRAMER, Sônia. Com a pré-escola nas mãos: uma alternativa curricular para a Educação Infantil. São Paulo: Ática, 1993.

 

OSTETTO, Luciana Esmeralda (org.). Encontros e Encantamentos na Educação Infantil. São Paulo: Papirus, 2003.

 

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos de (org).  Educação Infantil: fundamentos e métodos. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

 

HOFFMANN, Jussara M. L. Avaliação na Pré-escola: um olhar sensível e reflexivo sobre a criança. Porto Alegre: Mediação, 2000.- (Cadernos Educação Infantil 3).

 

Bibliografia Complementar

 

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular para a Educação Infantil: formação pessoal e social. Vol. II. Brasília: MEC/SEF, 1998.

 

______. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular para a Educação Infantil: conhecimento de mundo. Vol. III. Brasília: MEC/SEF, 1998.

 

ROSEMBERG, F. Creches e Pré-escolas no Hemisfério Norte. São Paulo: Cortez, 1996.

 

 

EDUCAÇÃO INCLUSIVA
Regular
Semestre: 3º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Fundamentos da Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva: aspectos históricos, teóricos, políticos e legais pertinentes à constituição desta modalidade enquanto área de atuação. Principais paradigmas da Educação Especial e seus desafios junto às famílias e à comunidade.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

BEYER, Hugo Otto. Porque Lev Vygotsky se Propõe a uma Educação Inclusiva? Centro de Educação, Revista Eletrônica Educação Especial. n. 26. Rio Grande Sul: Set. 2005.

 

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. 2. ed. 2002.

 

CARVALHO, Rosita Édler. Removendo Barreiras para a Aprendizagem. 2. ed. Porto Alegre: Mediação, 2002.

 

MANTOAN, Maria Tereza Eglér et al. A Integração das Pessoas com Deficiência: contribuições para uma reflexão sobre o tema. São Paulo: Memnom, 1997.

 

MORIN, Edgar. Os sete Saberes Necessários à Educação do Futuro. 3. ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2001.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

BRASIL, Lei 9394/96. Brasília, MEC, 1996.

 

______. Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência. Declaração de Salamanca e Linha de Ação sobre Necessidades Educativas Especiais. Brasília: CORDE, 1994.

 

GAI, Daniele Noal; NAUJORKS, Maria Inês. Inclusão: contribuições da teoria sociointeracionista à inclusão escolar de pessoas com deficiência. Centro de Educação, Revista Eletrônica Educação Especial. n. 2. v. 31. Abril, 2006.

 

REGO, Teresa Cristina. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da Educação. 13.  ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2002.

 

 

TEORIAS DO CURRÍCULO
Regular
Semestre: 3º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: As teorias curriculares tradicionais, críticas e pós – críticas e seus paradigmas. Currículo, educação, cultura e sociedade. A produção do conhecimento no ambiente educativo e o currículo. Currículo e diversidade (raça, etnia, gênero, multiculturalismo e sexualidade). O surgimento dos debates curriculares no Brasil: currículos e programas. Parâmetros Curriculares Nacionais: análise crítica.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

COSTA, M. V. (Org.). O Currículo nos Limiares do Contemporâneo. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

 

LOPES, Alice Ribeiro Casimiro; MACEDO, Elisabeth. Disciplinas e integração curricular: histórias e políticas. Rio de Janeiro: DP& A, 2002.

 

MACEDO, R. S. Currículo: campo, conceito e pesquisa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

 

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa. Currículos e Programas no Brasil. 13. ed. São Paulo: Papirus, 1990.

 

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa; SILVA, Tomaz Tadeu da. (org.) Currículo, Cultura e Sociedade. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

COLL, César.  Psicologia e Currículos: uma aproximação psicopedagógica a elaboração do currículo escolar. 2. ed. São Paulo: Ática, 1997.

 

LOPES, Alice C.; MACEDO, Elizabeth. (org.). Políticas de Currículo em Múltiplos Contextos. São Paulo: Cortez, 2006.

 

______. (org.). Currículo: debates contemporâneos. São Paulo: Cortez, 2002.

 

 

PSICOGÊNESE DA LINGUAGEM ORAL E ESCRITA
Regular
Semestre: 3º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: O significado do ler e do escrever nas diferentes linguagens (oral, escrita, musical, corporal…), considerando os aspectos psicolinguísticos, psicomotores e emocionais envolvidos. Evolução histórica dos processos/métodos de Alfabetização. Concepções de Alfabetização e Letramento. Contribuições teórico-filosóficas emancipadoras ou interacionistas (Jean Piaget, Lev Vygotsky, Paulo Freire, Howard Gardner, Emília Ferreiro e Magda Soares). Níveis de Evolução da Língua Escrita. Metodologias para a ação educativa.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ANTUNES, Celso. Alfabetização Emocional. São Paulo: Terra Editora, 1996.

 

BARBOSA, José Juvêncio. Alfabetização e Leitura. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1994. – (Coleção Magistério. Série Formação do Professor).

 

CARVALHO, Marlene. Alfabetizar e Letrar: um diálogo entre a teoria e a prática. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

 

COLELLO, Silvia M. Gasparian. Alfabetização em Questão. 2 ed. Revista e ampliada. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2004.

 

CÓCCO, Maria Fernandes; HAILER, Marco Antônio. Didática de Alfabetização: decifrar o mundo – alfabetização e socioconstrutivismo. São Paulo: FTD, 1996. (Conteúdo e metodologia).

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

BETTELHEIM, Bruno; ZELAN, Karen. Psicanálise da Alfabetização. Porto Alegre: Artes Médicas, 1984.

 

CAGLIARI, Luiz Carlos. Alfabetizando sem o ba-bé-bi-bó-bu. São Paulo: Editora Scipione, 1998 (Série Pensamento e Ação no Magistério).

 

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

 

 

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL
Regular
Semestre: 3º –
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Linhas norteadoras em Educação Infantil: Finalidades e metas. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil: Perfil profissional do professor da Educação Infantil, objetivos, conteúdos e orientações didáticas. As diversas linguagens (oral, escrita, corporal, musical, plástica…) na infância. Diversidade cultural e práticas infantis: A criança como produtora de significações.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

AMAPÁ. Secretaria de Estado da Educação. Educação Infantil: um processo em construção. Vol. III. Macapá: SEED/ CEFORH, 2000.

 

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular para a Educação Infantil: formação pessoal e social. Vol. II. Brasília: MEC/SEF, 1998.

 

KRAMER, Sônia. Com a pré-escola nas mãos: uma alternativa curricular para a Educação Infantil. São Paulo: Ática, 1993.

 

______. Propostas Pedagógicas de Educação Infantil: subsídios para uma leitura crítica. 5. ed. Campinas: Papirus, 2006.

 

RODRIGUES, Maria Bernadette Castro; AMADEO, Maria Celina Bastos. O Espaço Pedagógico na Pré-escola. Porto Alegre: Mediação, 1995. – (Cadernos Educação Infantil 2).

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular para a Educação Infantil: conhecimento de mundo. Vol. III. Brasília: MEC/SEF, 1998.

 

LOPES, Alice Ribeiro Casimiro; MACEDO, Elisabeth. Disciplinas e Integração curricular: histórias e políticas. Rio de Janeiro: DP& A, 2002.

 

CORAZZA, Sandra Mara. Infância e Educação: era uma vez… quer que conte outra vez? Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

 

 

PLANEJAMENTO EDUCACIONAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS
Regular
Semestre: 3º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Fundamentos teóricos do planejamento educacional e estudos dos modelos de planejamento, sua relação com o processo de desenvolvimento e de participação social. Critica das diferentes concepções do planejamento educacional no Brasil: liberalismo a tecnicismo. Amplitude a limitações do poder do estado, da sociedade civil e do educador. Projeto político-pedagógico da escola.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ALMEIDA, Geraldo Peçanha de. Práticas de Alfabetização e Letramento. São Paulo: Cortez, 2006. (Coleção Oficinas: aprender fazendo).

 

MALUF, Ângela Cristina Munhoz. Atividades Lúdicas para Educação Infantil: conceitos, orientações e práticas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

 

MENEGOLLA, Maximiliano; SANT’ANNA, Ilka Martins. Por que Planejar? Como Planejar?: currículo-área-aula. 6. ed. São Paulo: Vozes, 1998.

VASCONCELLOS, C. S. Planejamento: plano de ensino-aprendizagem e projeto educativo. São Paulo: Libertat, 1995.

_______. Planejamento: projeto de ensino-aprendizagem e projeto político-pedagógico. São Paulo: Libertad, 2000.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

FERREIRA, Idalina Ladeira; CALDAS, Sarah P. Souza. Atividades na Pré-escola. 18. ed. São Paulo: Saraiva, 2002.

 

MOREIRA, A. F. B. (org.). Currículo: questões atuais. Campinas: Papirus, 1997. (Col. Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

 

OLIVEIRA, Zilma Ramos de. Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002.

 

 

 

FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DA LÍNGUA PORTUGUESA PARA EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS
Regular
Semestre: 3º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Linguagem e Participação Social. Língua oral: Usos e formas. O processo de alfabetização e letramento. Tipologia e formas de abordagem do texto. Identidade e objetivos da Língua Portuguesa para a Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental, considerando aspectos básicos como sua caracterização, objetivos e conteúdos. Estudo funcional da ortografia, pontuação e gramática a partir do texto. Práticas de leitura e produção de textos. Recursos e instrumentos de avaliação da aprendizagem em Língua Portuguesa.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ALMEIDA, Geraldo Peçanha de. A Produção de Textos nas Séries Iniciais: desenvolvendo competências da escrita. Rio de Janeiro: WAK Editora, 2005.

 

ALVARADO, Maitê. O Leiturão: jogos para despertar leitores. São Paulo: Editora Ática, 2002.

 

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Secretaria do Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1997.

 

NASPOLINI, Ana Tereza. Didática de Português. Tijolo por tijolo: leitura e produção escrita. São Paulo: FTD, 1996. (Coleção Conteúdo e metodologia – 1ª à 4ª série)

 

PAUSAS, Ascen D. de Ulzurrun. A Aprendizagem da Leitura e da Escrita a partir de Uma Perspectiva Construtivista. Porto Alegre: Artmed, 2004.

 

XAVIER, Maria Luisa Merino; DALLA ZEN, Maria Isabel (org.). O Ensino nas Séries Iniciais: das concepções teóricas às metodologias. Porto Alegre: Mediação, 1997. (Cadernos Educação Básica, v. 1)

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular para a Educação Infantil: conhecimento de mundo. Vol. III. Brasília: MEC/SEF, 1998.

 

BRITO, Eliana Vianna. PCN’s de Língua Portuguesa: a prática em sala de aula. São Paulo: Arte & Ciência, 2003.

 

ROJO, Roxane (org.). A Prática de Linguagem em Sala de Aula: praticando os PCN’s. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2000. (Coleção As Faces da Linguística Aplicada).

 

 

 

PRÁTICA PEDAGÓGICA II

Enfoque: Creche

Regular
Semestre: 3º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Atividades orientadas e supervisionadas de iniciação profissional dos discentes nas unidades educacionais de Educação Infantil, especificamente em creches (Análise crítico-reflexiva da prática docente e desenvolvimento de Projeto de Intervenção Pedagógica).

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

FERREIRA, Maria Clotilde Rossetti et al. Fazeres na Educação Infantil. São Paulo: Cortez, 2005.

 

OLIVEIRA, Zilma de M. R. de (org.). A Criança e Seu Desenvolvimento: perspectivas para se discutir educação infantil. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

 

______ (org.). Educação Infantil: Muitos olhares. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2004.

 

PICONEZ, Stela C. Bertholo (coord.). A Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado. Campinas, SP: Papirus, 1991. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

 

SILVA, Maria Beatriz G. da; HOFFMANN, Jussara (Coord.). Ação Educativa na Creche. Porto Alegre: Mediação, 2002. (Cadernos de Educação Infantil, v.1).

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular para a Educação Infantil: conhecimento de mundo. Vol. III. Brasília: MEC/SEF, 1998.

 

SOUZA, Regina Célia; BORGES, Maria F.S. Tognozi (orgs.). A Práxis na Formação de Educadores Infantis. São Paulo: DP&A, 2002.

 

SHORES, Elisabeth; GRACE, Cathy. Manual do Portfólio: um guia passo a passo para o professor. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

AVALIAÇÃO EDUCACIONAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS
Regular
Semestre: 4º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Considerações históricas acerca da avaliação educacional. Principais abordagens, pressupostos, conceitos e estratégias da avaliação. Avaliação educacional e planejamento.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA      

 

GANDIN. D. A Prática da Avaliação Participativa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

 

SANT’ANNA, Ilza Martins. Por que Avaliar? Como Avaliar?: critérios e instrumentos de avaliação. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.

 

HOFFMANN, Jussara. Avaliação, Mito e Desafio: uma perspectiva construtivista. Porto Alegre: Educação e Realidade Revistas e Livros, 1993.

 

SAUL, Ana Maria. Avaliação Emancipatória: desafio à teoria e à prática de avaliação e reformulação de currículo. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

 

SILVA, Janssen Felipe da; HOFFMANN, Jussara; ESTEBAN, Maria Teresa (Org.). Práticas Avaliativas e Aprendizagens Significativas em Diferentes Áreas do Currículo. Porto Alegre: Mediação, 2003.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

HOFFMAN, Jussara. Avaliação Mediadora: uma prática em construção da pré-escola à universidade.  Porto Alegre; Educação e Realidade, 1993.

 

MÉNDEZ, Juan Manuel. Avaliar para Conhecer, Examinar para Excluir. Porto Alegre: Artmed, 2002.

 

ZABALA, Antoni. A Prática Educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

 

 

CORPOREIDADE E LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS
Regular
Semestre: 4º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Terminologias e conceitos fundamentais sobre a atividade recreativa no contexto educacional. Adequação das atividades lúdico/recreativas para as diversas faixas etárias e características das crianças. Abordagens teóricas acerca do brincar. Conceitos, funções e diferenças entre jogo, brinquedo e brincadeira. A brinquedoteca como espaço lúdico de educação e lazer. Atividades práticas para o desenvolvimento da recreação e do lúdico.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

AWAD, Hani Zehdi Amine. Brinque, Cante e Encante Com a Recreação: conteúdos de aplicação pedagógica teórico – prática. 2. ed. Jundiaí, SP: Fontoura Editora, 2006.

 

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. (org.). Jogo, Brinquedo, Brincadeira e a Educação. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

 

MAFRA, Regina Maria Ruiz. Linha e Rodinha: exercícios para expressão corporal, musical, psicomotricidade, recreação e “linha”. São Paulo: Loyola, 2005.

 

MALUF, Ângela Cristina Munhoz. Atividades Lúdicas Para Educação Infantil: conceitos, orientações e práticas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

 

SANTOS, Santa Marli Pires dos (org.). Brinquedoteca: a criança, o adulto e o lúdico. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

 

­­______. (org.). A Ludicidade Como Ciência. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

ALMEIDA, Marcos Teodorico P. Atividades Lúdicas: jogos para animação de grupos. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

 

MALUF, Ângela Cristina Munhoz. Brincar: prazer e aprendizado. 3. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

 

MARCELLINO, Nelson C. (org.). Repertório de Atividades de Recreação e Lazer: para hotéis, acompanhamentos, clubes, prefeituras e outros. 4. ed. Campinas, SP: Papirus, 2007. (Coleção Fazer/Lazer).

 

 

EDUCAÇÃO, DIVERSIDADE E INTERCULTURALIDADE
Regular
Semestre: 4º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Educação para a diversidade. Identidades e Interculturalidade. Conceito antropológico de cultura e sociedade. Educação e cultura. As relações de gênero. Relações étnico-raciais na escola. A cultura e a diversidade sociocultural na Amazônia.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ADAMS, Cristina (org.). Sociedades Cablocas Amazônicas: modernidade e invisibilidade. São Paulo: Annablume, 2006.

 

AQUINO, Julio Groppa (org.). Diferenças e Preconceitos na Escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1998.

 

CUCHE, D. A Noção de Cultura nas Ciências Sociais. Bauru: EDUSC, 1999.

 

LOURO, Guacira Lopes. Corpo, Gênero e Sexualidade: um debate contemporâneo na educação. Rio de Janeiro: Vozes, 2003.

 

SILVA, T.T. (org.) Identidade e Diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2004.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

FREIRE, P. Educação e mudança. 28. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

 

GONÇALVES. L. A. O; SILVA, P. G e S. Multiculturalismo e Educação: do protesto de rua a propostas e políticas – educação e pesquisa. São Paulo, v.29, n.1, p. 109-123, jan./jun. 2003.

 

MORIN, B. Os Sete Saberes Necessários à Educação do Futuro. 10. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

 

 

 

 

 

ARTE E EDUCAÇÃO
Regular
Semestre: 4º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Possibilidades educacionais do fazer teatral. Estudo do movimento e história de vida. Exercícios com textos poéticos, expressão corporal com música, dramatização, montagem de cenas, cenários. Utilização de efeitos sonoros e visuais, leitura de texto, narrativas, construção de personagens, jogos, improvisação.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

BOSI, A. Reflexões Sobre a Arte. São Paulo: Ática, 1996.

 

BUONO, A. B. Olhar em construção: uma experiência de ensino aprendizagem da arte na escola. São Paulo: Cortez, 1996.

 

ALESSANDRINI, C. D. Oficina Criativa e Psicopedagógica. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1996.

 

ARRUDA, S. Arte do Movimento: as descobertas de Rudolf Laban na dança e ação humana. São Paulo: PW, 1998.

 

MATURANA, H.; REZEPKA, S. N. Formação Humana e Capacitação. Santiago: UNICEF/Dolmen, 1995.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular para a Educação Infantil: conhecimento de mundo. Vol. III. Brasília: MEC/SEF, 1998.

 

NÓVOA, A. Os Professores e Sua Formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

 

PERLLO, J. S. Teatro e Prática Pedagógica. São Paulo: Cortez, 2003.

ROUBINE, Jean-Jacques. Introdução às Grandes Teorias do Teatro. (Tradução, André Telles). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2003.

 

 

 

FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
Regular
Semestre: 4º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Processos de inclusão e exclusão educacional no Brasil. Preconceitos étnicos, culturais. Contextualização histórica e aspectos legais da Educação Especial no âmbito das políticas públicas. Necessidades educacionais especiais: conceitos, âmbito de aplicação e diretrizes legais. Representação social dos diferentes valores e paradigmas que norteiam a educação dos PNEES. A inclusão enquanto direito humano e constitucional. Currículo Escolar e a Educação Especial. Métodos, Técnicas, Recursos e Avaliação para a PNEE – em diferentes tipos e níveis de limitações. Linguagens especiais e linguagem computacional. LIBRAS. Adaptação de recursos e estratégias de intervenção

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

COLL, César; PALACIOS, Jesus; MARCHESI, Álvaro. Necessidades Educativas Especiais. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

 

_______.Desenvolvimento Psicológico e Educação: necessidades educativas especiais e aprendizagem escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

 

MAZZOTA, Marcos José Silveira. Educação Especial no Brasil. São Paulo. Cortez, 1996.

 

ALMEIDA, Elizabeth Crepaldi de; DUARTE, Patrícia Moreira. Atividades Ilustradas em Sinais de Libras. Rio de Janeiro: Livraria e Editora Revinter Ltda, 2004.

 

______. Consciência Fonológica: atividades práticas. Rio de Janeiro: Livraria e Editora Revinter Ltda, 2007.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

QUADROS, Ronice M.; KARNOPP, Lodenir B. Língua de Sinais Brasileira: estudos lingüísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

 

SKLIAR, Carlos (org.). A Surdez: um olhar sobre as diferenças. 3. ed. Porto Alegre: Mediação, 2005.

 

.

 
FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DO SISTEMA DE LEITURA DE BRAILLE
Regular
Semestre: 4º
Carga horária: 60h.
EMENTA: Fundamentos Teóricos e Metodológicos do Sistema Braille: O Sistema Braille como meio de comunicação e expressão da pessoa cega. Leitura, produção e transcrição da escrita em tinta para o sistema Braille. Formação de conceitos e simbologias diversas.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Grafia Braille para a Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEESP, 2002.

 

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Normas Técnicas para a Produção de Textos em Braille. Brasília: MEC/SEESP, 2002.

 

CONSTANT, Instituto Benjamin. Divisão de Imprensa Braille. Código Matemático Unificado. Rio de Janeiro: IBC, 1995.

ALMEIDA, Maria da Glória de Souza. Guia teórico para alfabetização em Braille. Rio de Janeiro: Instituto Benjamin Constante, 1995. (Apostila)

 

____. Prontidão Para Alfabetização Através do Sistema Braille. Rio de Janeiro; Instituto Benjamin Constant, 1995. (Apostila)

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB nº. 9394/96. Brasília: MEC/SEESP, 1996.

 

DANIELS, Harry. Vygotsky e a pedagogia. São Paulo: Loyola, 2003.

Programa Braille Fácil – versão 3.5a.Disponível em: http://intervox.nce.ufrj.br/brfacil/ – Acesso em 08/10/2013

 

 

 

 

LITERATURA INFANTO JUVENIL
Regular
Semestre: 4º
Carga horária: 60h.
EMENTA: O texto literário destinado à criança e o jovem: Definição, história, caracterização e valores veiculados. Linguagem e temáticas. Gêneros: prosa, poesia e teatro. Leitura e análise de textos destinados à criança e ao adolescente.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

 AGUIAR, Vera Teixeira de (org). Era Uma Vez na Escola…: formando educadores para formar leitores. Belo Horizonte: Formato Editorial, 2001. BAMBERGER, Richard. Como Incentivar o Hábito da Leitura. São Paulo: Ática, 2000.

 

BETTELHEIN, Bruno. A Psicanálise dos Contos de Fadas. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2004. CADEMARTORI, Lígia. O Que é Literatura Infantil. São Paulo: Brasiliense, 1985.

 

COELHO, Nely Novaes. Literatura Infantil: teoria-análise-didática. São Paulo: Moderna, 2000.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular para a Educação Infantil: conhecimento de mundo. Vol. III. Brasília: MEC/SEF, 1998. KHEDE, Sônia Salomão (org.) A literatura Infanto-juvenil: gênero polêmico. Petrópolis, RJ: Vozes, 1986.

 

ROSEMBERG, F. Literatura Infantil e Ideologia. São Paulo: Global, 1985.

 

 

PRÁTICA PEDAGÓGICA III

Enfoque: Educação especial na perspectiva da Educação inclusiva

Regular
Semestre: 4º
Carga horária: 60h.
EMENTA: Atividades orientadas e supervisionadas de iniciação profissional dos discentes nas unidades educacionais atuantes nos Anos iniciais do Ensino Fundamental, especificamente na modalidade Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva (Análise crítico-reflexiva da prática docente e desenvolvimento de Projeto de Intervenção Pedagógica).

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

JESUS, Saul Neves de. MARTINS, Maria Helena. Práticas Educativas Para a Construção de Uma Escola Inclusiva. Cadernos de Educação Especial/ Universidade Federal de Santa Maria. Centro de Educação Departamento de Educação Especial. LAPEDOC. Vol. 2. Santa Maria, 2001.

 

PADILHA, Anna Maria Lunardi. Prática Pedagógica na Educação Especial. 4. ed. São Paulo.Autores Associados.2008.

 

PERRENOUD, Philippe. A Prática Reflexiva no Ofício de Professor. Porto Alegre: Artmed, 2002.

 

PICONEZ, Stela C. Bertholo (coord.). A Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado. Campinas, SP: Papirus, 1991. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

 

RODRIGUES, David (org.). Educação e Diferença: valores e práticas para uma educação inclusiva. Portugal: Porto Editora, 2001.

 

ZABALA, Antoni. A Prática Educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

______. MEC/SEESP. Saberes e Práticas da Inclusão: dificuldades acentuadas de aprendizagem: autismo. Brasília: MEC/SEESP, 2004a.

 

______. MEC/SEESP. Saberes e Práticas da Inclusão: dificuldades acentuadas de aprendizagem: deficiência múltipla. Brasília: MEC/SEESP, 2004b.

 

______. MEC/SEESP. Saberes e Práticas da Inclusão: dificuldades de comunicação e sinalização: deficiência física. Brasília: MEC/SEESP, 2004c.

 

______. MEC/SEESP. Saberes e Práticas da Inclusão: dificuldades de comunicação e sinalização: surdo cegueira/ múltipla deficiência sensorial. Brasília: MEC/SEESP, 2004d.

 

 

 

FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DE HISTÓRIA PARA EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS
Regular
Semestre: 5º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Caracterização e objeto de estudo da área de História. A história como construção dos diversos sujeitos sociais. A formação do conceito de espaço pela criança. Análise dos Parâmetros Curriculares Nacionais de História nos ciclos iniciais do ensino fundamental. Análise do Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Objetivos e finalidades para o ensino de história nas séries iniciais. Conteúdos de História: critérios de seleção e organização. Aprender e ensinar História na Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental de forma interdisciplinar. Estratégias de intervenção metodológica (planejamento e execução de atividades experimentais).

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Secretaria do Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. História. MEC/SEF, 1997.

 

______. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular para a Educação Infantil: conhecimento de mundo. Vol. III. Brasília: MEC/SEF, 1998.

 

FONSECA, S. C. Caminhos da História Ensinada. São Paulo: Papirus, 1993.

 

HERNÁNDEZ, Fernando. Transgressão e Mudança na Educação: os projetos de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 1998.

 

PINSKY, J. (org.). O Ensino de História e a Criação do Fato. São Paulo: Contexto, 1988.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

LEFEBVRE, H. A Vida Cotidiana no Mundo Moderno. São Paulo: Ática, 1991.

 

LE GOFF, J. Reflexões Sobre a História. Lisboa: Edições 70, 1991.

 

SILVA, M. (org.). Repensando a História. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1984.

 

 

FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DE MATEMÁTICA PARA EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS
Regular
Semestre: 5º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Bases epistemológicas da construção do conhecimento lógico matemático. A criança e o desenvolvimento dos conceitos matemáticos: aspectos psicogenéticos. O processo de aprendizagem na educação infantil e nos ciclos iniciais do ensino fundamental. Metodologias e estratégias de ação que auxiliam o desenvolvimento do pensamento lógico matemático. Os conteúdos de matemática nos anos iniciais do ensino fundamental. Análise da proposta dos Parâmetros Curriculares Nacional de Matemática e do Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. O ensino da Matemática numa perspectiva emancipadora. Conteúdo lógico-matemática desenvolvidos na educação infantil. Metodologias aplicadas aos eixos temáticos da Matemática. Avaliação em Matemática.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ABERKANE, Françoise Cerquetti; BERDONNEAU, Catherine. O Ensino da Matemática na Educação Infantil. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

 

ALVES, Eva Maria Siqueira. A Ludicidade e o Ensino da Matemática. Campinas, SP: Papirus, 2002.

 

BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Matemática. Brasília: MEC/SEF, 1997.

 

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular para a Educação Infantil: conhecimento de mundo. Vol. III. Brasília: MEC/SEF, 1998.

 

CARVALHO, Dione Lucchesi de. Metodologia do Ensino da Matemática. São Paulo: Cortez, 1994.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

DANYLUK. Alfabetização Matemática. Porto Alegre: Sulina / Ediupf, 1998.

 

KAMII, Constance. A Criança e o Número: implicações da teoria de Piaget para a atuação junto a escolares de 4 a 6 anos. 21. ed. Campinas, SP: Papirus, 1996.

 

NETO, Ernesto Rosa. Didática da Matemática. 11. ed. São Paulo: Ática, 2002.

 

 

FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DE GEOGRAFIA PARA EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS
Regular
Semestre: 5º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Caracterização da área de Geografia: Fundamentos, objetivos e finalidades. Aprender e ensinar Geografia no Ensino Fundamental de forma interdisciplinar. As construções das relações espaciais pelas crianças e representações gráficas. Alfabetização geográfica como instrumento para significação do espaço geográfico. Aprendizagem de Geografia por meio da alfabetização geográfica. Análise dos Parâmetros Curriculares Nacionais de Geografia nos ciclos iniciais do Ensino Fundamental. Conteúdos de Geografia: critérios de seleção e organização. Metodologias de ensino de Geografia na Educação Infantil e Anos Iniciais. Elaboração de recursos didáticos acessíveis para o ensino de Geografia.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

BRASIL. Ministério da educação e cultura. Secretaria do Ensino Fundamental.

 

Parâmetros Curriculares Nacionais. Geografia. Brasília: MEC/SEF, 1997.

 

______.Ministério da educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental.

 

Referencial Curricular paraEducação Infantil: Conhecimento de mundo. Vol. III. Brasília: MEC/SEF, 1998.

 

CAVALCANTI, Lana de Souza. O Ensino de Geografia na escola. Campinas, SP: Papirus, 2012.

 

LIMA, José Juarez T. O Mapa e suas implicações sociais enquanto produto de comunicação. São Paulo: USP, 2003.

 

PASSINI, Elza Yasuko. Alfabetização cartográfica e a aprendizagem de geografia. São Paulo: Cortez, 2012.

 

RIBEIRO, Luís Távora Furtado. Ensino de História e Geografia/ Marcelo Santos

Marques. – Fortaleza: 2.ed. Brasil tropical, 2001.

 

SANTOS, Milton. Pensando o Espaço do Homem. São Paulo. Huitec, 1996.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

LEFEBVRE, H. A vida cotidiana no Mundo Moderno. São Paulo: Ática, 1991.

 

PAGANELLI, T.Y et AL. A noção de Espaço e de Tempo: o mapa e o gráfico . São Paulo: Instituto de Geografia/ USP, 2003.

 

SOUSA NETO, M. F. . Aula de Geografia e Algumas Crônicas. 2ª. ed. Campina Grande: Bagagem, 2008. v. 1. 109p.

 

 

FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DE CIÊNCIAS PARA EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS
Regular
Semestre: 5º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: A caracterização das Ciências Naturais. Breve histórico do ensino de Ciências Naturais. Objetivos de Ciências para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental. Conceitos e princípios significativos no campo das ciências. Importância do estudo de Ciências na vida da criança. A experiência como recurso didático para o desenvolvimento do raciocínio lógico científico. Ciências naturais e tecnologias. Análise da proposta dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN’s) para o ensino de Ciências Naturais nos ciclos iniciais do Ensino Fundamental. Análise do Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Metodologias e estratégias específicas para o ensino de Ciências. Recursos e instrumentos de avaliação da aprendizagem em ciências naturais. Orientação à prática de ensino.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

BRAGA, Magda e MOREIRA, Moacir Alves. Metodologia do Ensino: ciências físicas e biológicas. Belo Horizonte: Lê, 1997.

 

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular para a Educação Infantil: conhecimento de mundo. Vol. III. Brasília: MEC/SEF, 1998.

 

CARVALHO, Ana Maria P. et al. Ciências no Ensino Fundamental. São Paulo: Scipione, 1999.

 

MORAES, R. Ciências Para as Séries Iniciais e Alfabetização. Porto Alegre: Sagra Luzzato, 1998.

 

OLIVEIRA, Daisy Lara de (org.). Ciências nas Salas de Sula. Porto Alegre, RS: Mediação, 1997.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

BIZZO, Nélio Marco V. Ciência: fácil ou difícil? São Paulo: Ática. 1998.

 

DELIZOICOV, Demétrio. ANGOTTI, José André; PERNAMBUCO, Marta Maria. Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. Série Docência em formação – Ensino Fundamental. São Paulo: Cortez, 2002.

 

SPODEK, Bernard; SARACHO, Olívia N. Ensinando Crianças de Três a Oito Anos. Porto Alegre: ARTMED, 2005.

 

 

 

FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS
Regular
Semestre: 6º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Histórico da Educação de Jovens e Adultos na educação brasileira As especificidades da Educação de Jovens e Adultos: concepções e modalidades. Introdução ao pensamento de Paulo Freire. O perfil sociocultural dos educandos jovens e adultos e suas necessidades de aprendizagem. Função social e política da educação de jovens e adultos. A questão da alfabetização e a necessidade de elaboração de procedimentos de ensino e material didáticos adequados. A formação do educador e as especificidades no trabalho com o jovem e o adulto. Ações implementadas pela sociedade civil e pelo Estado.

 

Bibliografia BÁSICA

 

FERNANDES, Dorgival Gonçalves. Alfabetização de Jovens e Adultos: pontos críticos e desafios. Porto Alegre: Mediação, 2002.

 

GADOTTI, M.; ROMÃO, J. E. (orgs.). Educação de Jovens e Adultos: Teoria proposta. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

 

MASAGÃO, Vera R. (org.). Educação de Jovens e Adultos: novos leitores, novas leituras. Campinas, SP: Mercado de Letra, 2001.

 

ROMÃO, José E. (Org.) Educação de Jovens e Adultos: teoria, prática e proposta. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

 

SOARES, Leôncio J. G. Diretrizes Curriculares Nacionais: educação de Jovens e Adultos. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

 

Bibliografia Complementar

 

BRANDÃO, Carlos R. O Que é o Método Paulo Freire. São Paulo: Cortez, 2002.

 

CARVALHO, José Murilo de. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

 

RIBEIRO, Vera Maria Masagão. Educação de Jovens e Adultos: novos leitores novas leituras. São Paulo: Ação Educativa, 2001.

 

 

PRESSUPOSTOS LINGUÍSTICOS II
Regular
Semestre: 6º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: As contribuições da sociolingüística para os estudos das relações entre língua e sociedade, língua e educação. A variação e o preconceito lingüístico. Os fundamentos para uma pedagogia da educação lingüística. A problemática da norma culta ou norma padrão no ensino de língua materna.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

MUSSALIM, F.; BENTES, A.C. (orgs.). Introdução à Linguística: domínios e fronteiras. São Paulo: Cortez, 2001.

 

BAGNO. M. Preconceito Lingüístico: o que é, como se faz. 12. ed. São Paulo: Loyola, 2002.

_____. A Norma Oculta: língua e poder na sociedade brasileira. São Paulo: Parábola, 2003.

_____. Nada na Lingua é por Acaso: por uma pedagogia da variação lingüística. São Paulo: Parábola, 2007.

 

BORTONI-RICARDO, S. M. Nós Cheguemu na Escola, e Agora: sociolingüística e educação. São Paulo: Parábola, 2005.

 

KLEIMAN, Ângela. Texto & leitor: aspecto cognitivo da leitura. 5. ed. São Paulo: Pontes, 1997.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

BRITO, L.P. Contra o Consenso: cultura escrita, educação e participação. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2003.

 

CORTEZ, S.; XAVIER, A. C. (orgs.). Conversas com Linguístas: virtudes e controvérsias da lingüística. São Paulo: Parábola, 2003.

 

ELIAS, Silvio. Sociolingüística: Uma introdução. Rio de Janeiro: EDUFF/PROED, 1987.

 

 

ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Regular
Semestre: 5º
Carga horária: 80h.
 

EMENTA: Diferentes concepções de estágio. As etapas de realização do estágio curricular supervisionado na Educação Infantil: Observação/ participação no contexto escolar e regência de classe. Orientações para sistematização das ações vivenciadas no estágio: construção do Relatório Final.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

BIANCHI, Anna Cecília de Moraes. ALVARENGA, Marina; BIANCHI, Roberto. Manual de Orientação: estágio supervisionado. São Paulo: Pioneira, 1998.

 

KRAMER, Sônia; LEITE, Maria Isabel (orgs.). Infância: fios e desafios da pesquisa. Campinas, SP: Papirus, 2004. (Série Prática Pedagógica).

 

OLIVEIRA, Zilma Ramos de. Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002.

 

PICONEZ, Stela C. Bertholo (coord.). A Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado. Campinas, SP: Papirus, 1991. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

 

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e Docência. São Paulo: Cortez, 2004.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular para a Educação Infantil: conhecimento de mundo. Vol. III. Brasília: MEC/SEF, 1998.

 

CAMPOS, Casemiro Medeiros. Saberes Docentes e Autonomia dos Professores. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2007.

 

LIMA, Maria do Socorro L. A Hora da Prática: reflexões sobre o estágio supervisionado e ação docente, 4. ed. Fortaleza: Fundação Demócrito Rocha, 2004.

 

 

 

 

PRÁTICA PEDAGÓGICA IV

Enfoque: Educação Infantil

Regular
Semestre: 5º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Atividades orientadas e supervisionadas de iniciação profissional dos discentes nas unidades educacionais de Educação Infantil, especificamente na Pré-escola (Análise crítico-reflexiva da prática docente e desenvolvimento de Projeto de Intervenção Pedagógica).

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

CAMPOS, Casemiro Medeiros. Saberes Docentes e Autonomia dos Professores. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2007.

 

KRAMER, Sônia; LEITE, Maria Isabel (orgs.). Infância: fios e desafios da pesquisa. Campinas, SP: Papirus, 2004. (Série Prática Pedagógica).

 

OLIVEIRA, Zilma Ramos de. Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002.

 

PICONEZ, Stela C. Bertholo (coord.). A Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado. Campinas, SP: Papirus, 1991. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

______. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular para a Educação Infantil: Formação pessoal e social. Vol. II. Brasília: MEC/SEF, 1998.

 

CORAZZA, Sandra Mara. Infância e Educação: era uma vez… quer que conte outra vez? Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

 

SHORES, Elisabeth; GRACE, Cathy. Manual do Portfólio: um guia passo a passo para o professor. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

 

 

 

ECNOLOGIA, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO
Regular
Semestre: 6º
Carga horária: 40h.
 

EMENTA: As tecnologias da comunicação e da informação e sua influência na educação. A importância das novas tecnologias na formação do professor. O papel do professor frente à aplicação das novas tecnologias na Educação. A mídia como aparelho ideológico. A utilização do computador na educação. Estudo teórico-prático dos recursos computacionais aplicados na educação (aplicativos, internet, multimídia e outros). Multimeios aplicados à educação: rádio, televisão, vídeo e CD-Rom. Apresentação e utilização dos softwares aplicativos na produção de conhecimento. Critérios para o desenvolvimento de busca na Internet. Metodologias para aplicação da informática à educação.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ALVES, Rêmulo Maia. Internet e Educação. Lavras: Faepe, 2002.

 

ARROXO, Gisele Magalhães. Ensino de Informática. Campinas: Komedi, 2001.

 

NIQUINI, Débora Pinto. Informática na Educação: implicações didático-pedagógicas e construção do conhecimento. Brasília: Universal, 1996.

 

OLIVEIRA, R. de. Informática educativa: dos planos e discursos à sala de aula. Campinas: Papirus, 1997.

 

ZAMBALDE, André Luís. Computador Ferramenta. Campinas: Faepe, 2002.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

LITWIN, Edith (org.). Tecnologia Educacional-política: histórias e propostas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

 

PAPPERT, S. A Máquina das Crianças: repensando a escola na era da informática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

 

VALENTE, J. A. Computadores e Conhecimento: repensando a educação. Campinas: UNICAMP, 1993.

 

 

SOCIEDADE, TRABALHO E EDUCAÇÃO
Regular
Semestre: 6º
Carga horária: 60h.
 

A função da educação na nova ordem mundial. A educação analisada a partir de revoluções tecnológicas, da globalização e dos modernos processos de trabalho produzidos pelas sociedades capitalistas e suas contradições.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

CAMPOS, Casemiro Medeiros. Saberes Docentes e Autonomia dos Professores. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2007.

 

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra,1996.

 

LIBÂNEO, José Carlos. Educação Escolar: políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez, 2007.

 

SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela Mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. São Paulo: Cortez, 2008.

 

SILVA, Tomaz Tadeu da. Identidade e Diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

ARRUDA, Marcos. Humanizar o Infra-humano: a formação do ser humano integral: homo evolutivo, práxis e economia solidária. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

 

CORTELLA, Mario Sergio. A Escola e o Conhecimento: fundamentos epistemológicos e políticos. São Paulo: Cortez, 2008.

 

MANACORDA, Mario A. História da Educação: da antiguidade aos nossos dias. São Paulo: Cortez, 2004.

 

 

EDUCAÇÃO DO CAMPO
Regular
Semestre: 6º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Concepções e conceitos em Educação do Campo. Características do Campo Brasileiro. Heterogeneidade e características sociais, políticas, econômicas e culturais das populações do Campo. Educação do Campo na Amazônia. Educação do Campo e Movimentos Sociais. Educação do Campo e Políticas Públicas. Práticas pedagógicas em classes multisseriadas. Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ARROYO, Miguel G.; CALDART, Roseli S.; MOLINA, Mônica C. (orgs.). Por Uma Educação do Campo. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

 

BRASIL. Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. CNE/CEB: Brasília, 2002.

 

LEITE, Sergio Celani. Escola Rural, Urbanização e Políticas Educacionais. 2. ed. São Paulo; Cortez, 2002.

 

 

GONÇALVES, C. W. P. Amazônia, Amazônias. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2005.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

MOLINA, M. C; JESUS, S.M.S.A. (org.). Contribuições Para a Construção de um Projeto de Educação do Campo. Brasília, DF: 2004.

 

OLIVEIRA, I. A. Cartografias Ribeirinhas: saberes e representações sobre prática sociais cotidianas de alfabetizandos amazônidas. Belém: CCSE-UEPA, 2003.

 

WERTHEIN, J.; BODENAVE, J. D. Educação Rural no Terceiro Milênio: experiências e novas alternativas. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

 

 

 

 

EDUCAÇÃO INDÍGENA
Regular
Semestre: 6º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: A escola e a construção da identidade na diversidade. As sociedades indígenas e suas relações com a sociedade nacional. A legislação e a especificidade da Educação Escolar Indígena. A Educação Indígena na perspectiva das Diretrizes Curriculares Nacionais e os Parâmetros Curriculares Nacionais. A formação de professores indígenas para a Educação Básica. A instrumentalização do professor e a produção do material didático. A língua materna. O bilinguismo. A valorização étnica e a diversidade cultural.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

BRASIL. Comitê de Educação Escolar Indígena. Diretrizes para a Política Nacional de  educação Escolar Indígena. MEC/SEF/DPEF. Brasília. 1994.

 

LADEIRA, M. I. Os índios Guarani/Mbya e o Complexo Lacunar Estuarino de Iguape – Paranaguá. Centro de Trabalho Indigenista. Coordenadoria de Proteção Recursos Naturais da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. São Paulo, fev. 1994.

 

MAGALHÃES, E. D. (org.) Legislação Indigenista Brasileira e Normas Correlatas. 3. ed. Brasília: FUNAI/ CGDOC, 2005.

 

RIBEIRO, D. Os Índios e a Civilização. São Paulo: Cia das Letras, 1996.

 

SILVA, Aracy L. A Temática Indígena na Escola: novos subsídios para professores de 1º e 2º graus. Brasília: MEC/MARI/Unesco/1995.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

CUNHA, Manuel Carneiro. Da História dos índios no Brasil. São Paulo: Brasiliense,1992.

 

GRUPIONI, Luís Donizete Benzi (Org.). Índios no Brasil. Brasília: Ministério da Educação e do Desporto, 1994.

 

D’ANGELIS, Wilmar; VEIGA, Juracilda (orgs.). Leitura e Escrita em Escolas Indígenas. Campinas, SP: Mercado de Letras. 1997.

 

EDUCAÇÃO EM COMUNIDADES AFRO-DESCENDENTES
Regular
Semestre: 6º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Diversidade, espaço e relações étnico-raciais. Aspectos da história dos negros na África e contextos da escravidão no Brasil. Reflexos nas condições materiais e simbólicas de existência do negro na atualidade e em sua inserção nos contextos educativos. Políticas, multiculturalismo e estudos culturais.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

AMÂNCIO, Íris Maria da C. Literaturas Africanas e Afro-brasileira na Prática Pedagógica. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

 

ABRAMOWICZ, Anete; SILVÉRIO, Valter Roberto (orgs.). Afirmando Diferenças: montando o quebra-cabeça da diversidade na escola. Campinas: Papirus, 2005.

SILVA, Paulo Vinícius Batista da. Racismo em Livros Didáticos: estudo sobre negros e brancos em livros de língua portuguesa. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

 

SANTOS, Renato Emerson Nascimento (org.) Diversidade, Espaço e Relações Étnico-raciais: o negro na geografia do Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. (Coleção Cultura Negra e Identidades)

 

ROMÃO, Jeruse Romão. (Org.). História da Educação do Negro e Outras Histórias. Brasília: Ministério da Educação/SECAD, 2005.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

PERRENOUD, Philippe. A Pedagogia na Escola das Diferenças: fragmentos de uma Sociologia do Fracasso Porto Alegre: Artmed, 2001.

 

GONÇALVES, L. A. O., SILVA, P. B. G. O Jogo das diferenças: o multiculturalismo e seus contextos. Belo Horizonte: Autêntica, 1998. (Trajetória 1)

 

MOREIRA, A. F. B. (org.). Currículo: questões atuais. Campinas: Papirus, 1997. (Col. Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico)

 

 

 

METODOLOGIA DA PESQUISA EM EDUCAÇÃO
Regular
Semestre: 6º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: A Pesquisa Científica como forma de contato com a realidade escolar. Abordagens qualitativas e quantitativas de Pesquisa em Educação. Técnicas de Pesquisa em Educação. A observação na escola para levantamento de dados sobre problemas pedagógicos. Elaboração e aplicação de instrumentos de coleta de dados, relevância e irrelevância de dados, seleção e dimensionamento de amostras, fontes primárias e secundárias. Diferenças entre o Projeto e o Relatório de Pesquisa. Formas de apresentação pública de uma Pesquisa. Normalização, estrutura e configurações segundo a ABNT. Planejamento e execução de atividades interventivas a serem desenvolvidas na escola, com vista a contribuir para a reflexão e solução dos problemas detectados.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ANDRÉ, M. Papel da Pesquisa na Formação e na Prática dos Professores. Campinas: Papirus, 2005.

 

LINHARES, Célia Frazão et al. Ensinar e Aprender: sujeitos, saberes e pesquisa. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

 

SANTOS FILHO, J.C.; GAMBOA, S. S. Pesquisa Educacional: quantidade qualidade. São Paulo: Cortez, 1995.

 

TEIXEIRA, Elizabeth. As Três Metodologias: acadêmica, da ciência e da pesquisa. 4. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

 

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sarip Knopp. Investigação Qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto Alegre, RS: Porto Editora, 1994.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

TRIVIÑOS, Augusto. Introdução à Pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2004.

 

BASSALO, Lucélia; PIMENTEL, Rúbia. Pesquisa em Educação. Belém: UNAMA, 2003.

 

GIL, Antonio C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas, 1990.

 

 

ESTÁGIO SUPERVISIONADO NOS ANOS INICIAIS E EJA DO ENSINO FUNDAMENTAL
Regular
Semestre: 6º
Carga horária: 100h.
EMENTA: Diferentes perspectivas de estágio (para quem já exerce a docência e para quem não exerce). As etapas de realização do estágio curricular supervisionado nos Anos Iniciais e EJA do Ensino Fundamental: Observação/ participação no contexto escolar e regência de classe. Orientações para sistematização das ações vivenciadas no estágio. A construção do Relatório Final.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BIANCHI, Anna Cecília de Moraes. ALVARENGA, Marina; BIANCHI, Roberto. Manual de Orientação: estágio supervisionado. São Paulo: Pioneira, 1998.

 

CAMPOS, Casemiro Medeiros. Saberes Docentes e Autonomia dos Professores. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2007.

 

LIMA, Maria do Socorro L. A Hora da Prática: reflexões sobre o estágio supervisionado e ação docente, 4. ed. Fortaleza: Fundação Demócrito Rocha, 2004.

 

PICONEZ, Stela C. Bertholo (coord.). A prática de Ensino e o Estágio Supervisionado. Campinas, SP: Papirus, 1991. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

 

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e Docência. São Paulo: Cortez, 2004.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

FREIRE, Paulo. Educação Como Prática da Liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.

 

ROMÃO, José E. (Org.) Educação de Jovens e Adultos: teoria, prática e proposta. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

 

ZABALA, Antônio. A Prática Educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

 

 

PRÁTICA PEDAGÓGICA V

Enfoque: EJA, Educação do campo, Educação Indígena, Educação em Comunidades afrodescendentes

Regular
Semestre: 6º
Carga horária: 60h.
EMENTA: Atividades orientadas e supervisionadas de iniciação profissional dos discentes nas unidades educacionais atuantes nos Anos iniciais do Ensino Fundamental, com enfoque na EJA, Educação do Campo, Educação Indígena e Educação em Comunidades Afro-descendentes (Análise crítico-reflexiva da prática docente e desenvolvimento de Projeto de Intervenção Pedagógica).

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

MOLINA, M. C; JESUS, S.M.S.A. (org.). Contribuições Para a Construção de Um Projeto de Educação do Campo. Brasília, DF: 2004.

 

PICONEZ, Stela C. Bertholo (coord.). A Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado. Campinas, SP: Papirus, 1991. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

 

ROMÃO, José E. (Org.) Educação de Jovens e Adultos: teoria, prática e proposta. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

CAMPOS, Casemiro Medeiros. Saberes Docentes e Autonomia dos Professores. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2007.

 

SHORES, Elisabeth; GRACE, Cathy. Manual do Portfólio: um guia passo a passo para o professor. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

 

ZABALA, Antônio. A Prática Educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

 

 

 

GESTÃO DE SISTEMAS E UNIDADES EDUCACIONAIS
Regular
Semestre: 7º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: A escola como local de trabalho. Natureza do trabalho pedagógico. Tendências atuais da administração escolar no Brasil. Os princípios da gestão democrática. A elaboração e implementação do projeto pedagógico como eixo integrador da gestão escolar. O perfil dos gestores escolares no Brasil. Gestão de pessoas. Gestão financeira.  Gestão de resultados educacionais. Gestão de patrimônio.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

BRASIL. Congresso Nacional. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial da União, 23 de dezembro de 1996.

 

CORTELLA, Mário S. A Escola e o Conhecimento: fundamentos epistemológicos e políticos. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

 

LERCHE, Sofia (org.) Gestão da Escola: desafios a enfrentar. Rio de Janeiro, DP&A, 2002.

 

SILVA, Jair Militão da. A Autonomia da Escola Pública. São Paulo: Papirus, 2004.

 

SILVA, Mônica Ribeiro da. Currículo e Competências: a formação administrada. São Paulo: Cortez, 2008.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

CAMPOS, Casemiro Medeiros. Saberes Docentes e Autonomia dos Professores. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2007.

 

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1996.

 

SAVIANI, Demerval. Escola e Democracia. 7. ed. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 2002 (Coleção Polêmicas do Nosso Tempo).

 

 

 

FUNDAMENTOS DA ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL
Regular
Semestre: 7º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: A Orientação Educacional como prática educativa. As abordagens da Orientação Educacional. Dinâmica psicossocial na Orientação Educacional. Orientação Vocacional: informação e educação para o trabalho. O instrumental na Orientação Educacional. Dificuldades de aprendizagem.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

GIACAGLIA, Lia Renata Angelini; PENTEADO, Wilma Millan Alves. Orientação Educacional na Prática: princípios, técnicas, instrumentos. São Paulo, SP: Pioneira Educação, 2003.

 

GRISPUN, M. P. S. Z. (org.) et al. A Orientação Educacional: conflitos de paradigmas e alternativas para a escola. São Paulo: Cortez, 2001.

 

GARCIA, Regina Leite (org). O Fazer e o Pensar dos Supervisores e Orientadores Educacionais. São Paulo: Loyola, 2002.

SERRANO, Gloria Pérez. Educação em Valores: como educar para a Democracia. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2002.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

LISBOA, Marilu Diez. Formação e Prática de Orientadores. São Paulo: Summus, 2000.

 

SILVA, Mônica Ribeiro da. Currículo e Competências: a formação administrada. São Paulo: Cortez, 2008.

 

 

 

 

FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR
Regular
Semestre: 7º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Trajetória histórica da Supervisão escolar. Reflexão das diferentes posições que tem ocupado o (a) supervisor (a) escolar nos diversos momentos sócio-históricos e educacionais, ressignificando seu papel como mediador do processo educativo. O supervisor e sua ação de coordenação do trabalho docente: liderança e ação para a transformação. Dimensão humana, técnica e crítico-social da Supervisão Escolar.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ANGEL, Mary. Supervisão Pedagógica: princípios e práticas. Campinas, São Paulo: Papirus, 2001.


FERREIRA, Naura Syria Carapeto (org). Supervisão Educacional Para Uma Escola de Qualidade. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

 

GARCIA, Regina Leite (org). O Fazer e o Pensar dos Supervisores e Orientadores Educacionais. São Paulo: Loyola, 2002.

 

MACHADO, Lurdes M. Administração, Supervisão e Orientação Escolar: questões para o novo milênio. São Paulo: Pioneira, 2000.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

CAMPOS, Casemiro Medeiros. Saberes Docentes e Autonomia dos Professores. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2007.

 

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra,1996.

 

ALVES, Nilda (org.). Educação e Supervisão: o trabalho coletivo na escola. São Paulo: Cortez, 2000.

 

 

 

 

PEDAGOGIA EM AMBIENTES NÃO–ESCOLARES
Regular
Semestre: 7º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Princípios, organização e práticas pedagógicas em ambientes não escolares. Pedagogia social de rua. Pedagogia hospitalar. Pedagogia em movimentos sociais. Pedagogia em ambiente empresarial.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ARAGÃO, Wilson Honorato. Mercado de Trabalho: novos espaços para atuação do (a) profissional da Pedagogia. Editora Universitária/ UFB, Sal da Terra, 2005.

 

CALDART, Roseli Salete. Pedagogia do Movimento dos Sem Terra. Rio de Janeiro: Vozes, 2000.

 

GANDIN, Danilo. A Prática do Planejamento Participativo na Educação e em Outras Instituições, Grupos e Movimentos dos Campos Cultural, Social, Político, Religioso e Governamental. 8. ed. Rio de Janeiro: Vozes.2000.

 

GRACIANI, Maria Stela S. Pedagogia Social de Rua. 5. ed. São Paulo: Cortez: Instituto Paulo Freire, 2005.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

GONH, Maria da Glória. Movimentos Sociais e Educação. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

 

______. Educação Não-formal e Cultura Política. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

 

 

TCC I
Regular
Semestre: 7º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Elaboração de Trabalho de Conclusão de Curso, que consistirá na composição de Projeto de Pesquisa, de forma individual, a ser desenvolvido ao longo do 7º semestre do curso e incluirá, obrigatoriamente, problematização, hipóteses e plano e/ou estratégias de pesquisa, sendo desenvolvido sob orientação de um docente da UEAP.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ANDRÉ, M. Papel da Pesquisa na Formação e na Prática dos Professores. Campinas: Papirus, 2005.

 

DEMO, Pedro. Pesquisa: princípio científico e educativo. S. Paulo: Cortez, 2002.

 

KÖCHE, José Carlos. Fundamentos de Metodologia Científica. Rio de Janeiro: Vozes, 2002.

 

NERY, Jose Reinaldo Cardoso; BORGES, Maria Lucia Teixeira. Orientações Técnicas para Elaboração de Trabalhos Acadêmicos. Macapá: UNIFAP, 2005.

 

TEIXEIRA, Elizabeth. As Três Metodologias: acadêmica, da ciência e da pesquisa. 4. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

FIGUEIRA, Paulo S. S. Recomendações Técnicas para Apresentação de Obras para Impressão. Macapá: Associação de Documentalistas do Estado do Amapá, 2001.

 

SANCHEZ GAMBOA, S. A. Epistemologia da Pesquisa em Educação. Campinas, SP: Práxis, 2002.

 

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo: Cortez, 2006.

 

ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA GESTÃO DE UNIDADES ESCOLARES E COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA
Regular
Semestre: 7º
Carga horária: 100h.
 

EMENTA: Acompanhamento do processo de orientação educacional, supervisão, organização e administração da escola (educação básica e suas modalidades) enquanto unidade vinculada a um sistema de ensino, buscando o entendimento de seus problemas cotidianos e alternativas de solução baseadas nos fundamentos teóricos da política e da administração educacional.  Orientações para sistematização das ações vivenciadas no estágio: construção do Relatório Final.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ANGEL, Mary. Supervisão Pedagógica: princípios e práticas. Campinas, São Paulo: Papirus, 2001.

 

GUIMARÃES, E. et al. O Coordenador Pedagógico e a Educação Continuada. São Paulo: Loyola, 2001.

 

MAIA, Graziela Zambão Abdian; MACHADO, Lourdes Marcelino (Org.) Administração e Supervisão Escolar: questões para o novo milênio. São Paulo: Pioneira, 2000.

 

OLIVEIRA, Maria Auxiliadora Monteiro (org.). Gestão Educacional: novos olhares, novas abordagens. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

 

PICONEZ, Stela C. Bertholo (coord.). A Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado. Campinas, SP: Papirus, 1991. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

CAMPOS, Casemiro Medeiros. Saberes Docentes e Autonomia dos Professores. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2007.

 

LIBÂNEO, José Carlos et al. Educação Escolar: políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez, 2003. (Coleção Docência em Formação).

 

MELO, Sonia Maria Martins de. Orientação Educacional do Consenso ao Conflito. São Paulo: Papirus, 2005..

 
PRÁTICA PEDAGÓGICA VI
Regular
Semestre: 7º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Atividades orientadas e supervisionadas de iniciação profissional dos discentes nas unidades educacionais no âmbito da Coordenação Pedagógica (Supervisão Escolar/ Orientação Educacional) e Gestão de Sistemas e Unidades Escolares. Análise do contexto escolar e desenvolvimento de Projeto de Intervenção Pedagógica.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

CAMPOS, Casemiro Medeiros. Saberes Docentes e Autonomia dos Professores. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2007.

 

GANDIN, Danilo. A Prática do Planejamento Participativo na Educação e em Outras Instituições, grupos e Movimentos dos Campos Cultural, Social, Político, Religioso e Governamental. 8. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2000.

 

GRISPUN, Mírian P. S. Zippin. (org.) Supervisão e Orientação Educacional: perspectivas de integração na escola. São Paulo: Cortez, 2005.

 

PARO, Vitor H. Administração escolar: introdução crítica. 13. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

 

PICONEZ, Stela C. Bertholo (coord.). A Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado. Campinas, SP: Papirus, 1991. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

ALVES, Nilda. Educação e Supervisão: trabalho coletivo na escola. 10. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

 

SILVA JUNIOR, Celestino Alves da Silva; RANGEL, Mary. Nove Olhares Sobre a Supervisão. Campinas, SP: Papirus, 1997.

 

SHORES, Elisabeth; GRACE, Cathy. Manual do Portfólio: um guia passo a passo para o professor. Porto Alegre: Artmed, 2001.

 

 

PROJETOS E EVENTOS SOCIOEDUCACIONAIS
Regular
Semestre: 8º
Carga horária: 60h.
EMENTA: Considerações sobre a gestão de eventos, abordando sua definição, abordagem histórica, tipologia, objetivos e contribuições teóricas. O evento como espaço criativo. Dimensão ética e perfil profissional. O desenvolvimento de eventos no âmbito da Instituição Escolar. Metodologias para a ação educativa. Planejamento e execução de Projetos educacionais, sociais e comunitários.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ÁVILA, Célia M. de (coord.). Gestão de Projetos Sociais. São Paulo: AAPCS, 1999.

 

CESCA, Cleuza G. Gimenes. Organização de Eventos: manual para planejamento e execução. 6 ed. São Paulo: Summus, 1997.

 

CLEMENTE, Ademir (org.) Projetos Empresariais e Públicos. São Paulo: Atlas, 2002.

 

LUKOWER, Ana. Cerimonial e Protocolo. São Paulo: Contexto, 2005. (Coleção turismo passo a passo).

 

MELO NETO, Francisco Paulo de. Criatividade em Eventos. São Paulo: contexto, 2004.

 

TENÓRIO, Fernando Guilherme (coord). Elaboração de Projetos Comunitários: uma abordagem prática. São Paulo: Loyola, 1995.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Ética. Vol. I. Brasília: MEC/SEF, 1998.

 

MEIRELLES, Gilda Fleury. Tudo Sobre Eventos. São Paulo: Editora STS, 1999.

 

MILITÃO, Albigenor; MILITÃO, Rose. Jogos, Dinâmicas e Vivências Grupais: como desenvolver sua melhor “técnica” em atividades grupais. Rio de Janeiro: Qualitymark Editora, 2000.

 

 

ESTATÍSTICA APLICADA À EDUCAÇÃO
Regular
Semestre: 8º
Carga horária: 40h.
 

EMENTA: elaboração e análise de diagnósticos estatísticos educacionais através de estudos de seus principais indicadores coeficientes de escolarização, déficit educacional, coeficiente de produtividade curricular. Construção e interpretação de gráficos e tabelas, representação gráfica. Noções tabulares. Números relativos: percentagem, coeficiente, taxas e índices educacionais. Distribuição de frequência: Medidas de tendências centrais, medidas de posição (separatrizes). Medidas de dispersão. Correlação e regressão linear. Amostragem. Noções de probabilidade. Curva normal de probabilidade. Pesquisa estatística aplicada

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

AKAMINE, Carlos Takeo. Estudo Dirigido de Estatística Descritiva. São Paulo. Ética, 1998.

CREPO, Antonio Arnot. Estática Fácil. 16. ed. São Paulo: Saraiva, 1998.

 

BAQUERO, Miguel Gordeado. Métodos de Pesquisa Pedagógica: estatística psico-educacional. São Paulo: Loyola, 1978.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

FONSECA, J.S. Curso de Estatística. São Paulo: Editora Atlas, 1990.

 

MARTINS, Gilberto de Andrade. Princípio de Estatística. Ed. São Paulo. Atlas, 1990.

 

VIEIRA, Sonia. Princípios de Estatística. São Paulo, Pioneira, 1999.

 

 

TCC II
Regular
Semestre: 8º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Continuidade da Elaboração de Trabalho de Conclusão de Curso (modalidade monografia), de forma individual, a ser desenvolvido ao longo do 8º semestre do curso, sob orientação de docentes da UEAP, conforme linhas de pesquisa do Curso e posterior apresentação perante banca avaliadora.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ANDRÉ, M. Papel da Pesquisa na Formação e na Prática dos Professores. Campinas: Papirus, 2005.

 

DEMO, Pedro. Pesquisa: princípio científico e educativo. S. Paulo: Cortez, 2002.

 

VIANNA, H. M. Pesquisa em Educação: a observação. Brasília: Líber Livro, 2007.

 

SANCHEZ GAMBOA, S. A. Epistemologia da Pesquisa em Educação. Campinas/SP: Práxis, 2002.

 

TEIXEIRA, Elizabeth. As Três Metodologias: acadêmica, da ciência e da pesquisa. 4. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

NERY, Jose Reinaldo Cardoso; BORGES, Maria Lucia Teixeira. Orientações Técnicas para Elaboração de Trabalhos Acadêmicos. Macapá: UNIFAP, 2005.

 

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. S. Paulo: EPU, 2002.

 

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo: Cortez, 2006.

 

 

EDUCAÇÃO E DIREITOS HUMANOS
Regular
Semestre: 8º
Carga horária: 40h.
 

EMENTA: Fundamentos da ética e da moral na concepção de estudiosos como Kant e Piaget. Cidadania e direitos humanos: conceito e relação. Construção histórica dos Direitos Humanos. Declaração Universal dos Direitos Humanos e Estatuto da Criança e do Adolescente. Direitos humanos e diversidade étnico-racial. A função social da escola e a questão dos direitos humanos e cidadania.  Políticas Públicas de educação em direitos humanos. O papel do educador (dimensão ética, política e técnica) na perspectiva da Educação em Direitos Humanos. Orientações metodológicas para a Educação em Direitos Humanos.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ARAÚJO, Ulisses F.; AQUINO, Júlio Groppa. Os Direitos Humanos na Sala de Aula: a ética como Tema Transversal. São Paulo: Moderna, 2001.

 

CLOVES, Roberto dos Santos. Ética, Moral e Competência dos Profissionais da Educação. São Paulo: Avercamp, 2004.

 

LA TAILLE, Yves de. Moralidade e Ética: dimensões intelectuais e afetivas. Porto Alegre: Artmed, 2006.

 

MACEDO, Lino de (Org.). Cinco estudos de Educação Moral. São Paulo: Casa do Psicólogo. 1996. (Coleção psicologia e educação)

 

SERRANO, G. P. Educação em Valores: como educar para a democracia. 2. ed. Porto Alegre, RS: Artmed, 2002.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

CANDAU, Vera Maria [et al]. Oficinas Pedagógicas de Direitos Humanos. Petrópolis: Vozes, 1995.

 

DÍAZ-AGUADO, Maria José; MEDRANO, Concepción. Construção Moral e Educação: uma aproximação construtivista para trabalhar os conteúdos transversais. Bauru, SP: Edusc, 1999.

 

DEVRIES, Retha et al. A Ética na Educação Infantil: o ambiente sociomoral na escola. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

 

FAGUNDES Márcia Botelho. Aprendendo Valores Éticos. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

 

NORMATIZAÇÕES

 

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração Universal dos Direitos Humanos. 1948.

 

BRASIL. Constituição da República Federativa, 1988.

 

______. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Ética. Vol. I. Brasília: MEC/SEF, 1998.

 

______. Lei nº. 8069, de 13 de julho de 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente.

 

______. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos. Brasília: Secretaria Especial em Direitos Humanos, 2003.

 

 

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E BIODIVERSIDADE
Regular
Semestre: 8º
Carga horária: 60h.
 

EMENTA: Fundamentos de Ecologia. Fatores ambientais e genéticos que afetam a biodiversidade. Compreensão da educação no Brasil, a partir dos condicionantes estruturais decorrentes entre desenvolvimento e meio ambiente. O contexto histórico-cultural de onde emergem os movimentos ecológicos pela Educação Ambiental. A natureza como um conceito socialmente construído. A educação, o desenvolvimento tecnológico, a sociedade e a natureza. Desenvolvimento sustentável. Discussão da abordagem interdisciplinar em programas de Educação Ambiental.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

BURSZTYN, L. Para Pensar o Desenvolvimento Sustentável. São Paulo: Letras & Letras, 1991.

 

DIAS, G. F. Educação Ambiental: princípios e práticas. São Paulo: Global/ Gaita, 1994.

LARAIA, Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. 6. ed. Rio de Janeiro:

Zahar, 1992.

 

MARCONDES FILHO, Ciro. Violência das Massas no Brasil. São Paulo: Global, 1986.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

PENTEADO, H. D. Meio Ambiente e Formação de Professores. São Paulo: Cortez, 1995.

Coleção Questões da Nossa Época.

 

PETRAGLIA, Isabel Cristina. Edgar Morim: a educação e a complexidade do ser e do

saber. Petrópolis, RJ: vozes. 1995.

 

 

ESTÁGIO SUPERVISIONADO VI EM AMBIENTES NÃO ESCOLARES
Regular
Semestre: 8º
Carga horária: 80h.
 

EMENTA: Organização dos procedimentos de inserção nos diversos ambientes não escolares, principalmente nos setores de Recursos Humanos de empresas públicas e privadas, tais como: ONGS, hospitais, instituições penitenciárias, meios de Comunicação de massa e organizações políticas (Sindicatos), profissionais, científicas e culturais nas quais o pedagogo pode atuar. Implementação de ações educativas em ambientes não escolares. Construção de novos conhecimentos que viabilizem um olhar significativo sobre a atuação do pedagogo em diversos ambientes sociais. Orientações para sistematização das ações vivenciadas no estágio: construção do Relatório Final.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ARAGÃO, Wilson Honorato. Mercado de Trabalho: novos espaços para atuação do (a) profissional da Pedagogia. Editora Universitária/ UFB, Sal da Terra, 2005.

 

FRIGOTTO, G. (org.). Trabalho e Conhecimento, Dilemas na Educação do Trabalhador. São Paulo: Editora Cortez, 2003.

 

GANDIN, Danilo. A Prática do Planejamento Participativo na educação e em outras Instituições, Grupos e Movimentos dos Campos Cultural, Social, Político, Religioso e Governamental. 8. ed. Rio de Janeiro: Vozes.2000.

 

GONH, Maria da Glória. Educação Não-formal e Cultura Política. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

FRIGOTTO, Gaudêncio (org.). Educação e Crise do Trabalho: perspectivas de final de século. 4 ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

 

LIBÂNEO, José C. Pedagogia e Pedagogos, Para Quê? São Paulo: Cortez, 2000.

 

 

 

PRÁTICA PEDAGÓGICA VII
Regular
Semestre: 8º
Carga horária: 60h.
EMENTA: Atividades orientadas e supervisionadas de iniciação profissional dos discentes em ambientes socioeducativos não escolares (Análise crítico-reflexiva do contexto não escolar e desenvolvimento de Projeto de Intervenção).

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 

ARAGÃO, Wilson Honorato. Mercado de Trabalho: novos espaços para atuação do (a) profissional da Pedagogia. Editora Universitária/ UFB, Sal da Terra, 2005.

 

GANDIN, Danilo. A Prática do Planejamento Participativo na educação e em outras Instituições, Grupos e Movimentos dos Campos Cultural, Social, Político, Religioso e Governamental. 8. ed. Rio de Janeiro: Vozes. 2000.

 

GONH, Maria da Glória. Educação Não-formal e Cultura política. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 

RANGEL, Mary. A Pesquisa de Representação Social Como Forma de Enfrentamento de Problemas Socioeducacionais. São Paulo: Idéias & letras, 2004.

 

ALVES, Rubens. Conversas com Quem Gosta de Ensinar, 32. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

 

SHORES, Elisabeth; GRACE, Cathy. Manual do Portfólio: um guia passo a passo para o professor. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

 

GRUPO DE PESQUISAS 

 

LUDICIDADE, INCLUSÃO E SAÚDE (LIS)

 

Líder(es) do grupo: Ângela do Céu Ubaiara Brito e Anna Valeska Procópio de Moura Mendonça (pesquisadora UNIFAP)

 

O Grupo de pesquisas: Ludicidade, Inclusão e Saúde- LIS da Universidade do Estado do Amapá (UEAP) têm como objetivo geral possibilitar espaços de estudos acerca da pesquisa universitária. Nesse sentido, destacam-se os objetivos específicos: Compreender algumas metodologias qualitativas e quantitativas inerentes ao campo da pesquisa; possibilitar diálogos críticos acerca das linhas de pesquisas; proporcionar estudos significativos acerca das linhas adotadas; aprimorar trabalhos de conclusões de cursos orientados pelos professores das linhas de pesquisas. Dentre as linhas de pesquisa defendidas pelo grupo temos: (1) O brincar em diferentes contextos (2) Humanização no processo saúde/doença/morte (3) Educação inclusiva a partir da concepção sócio histórica e construção do conhecimento de crianças com síndrome de Down (4) avaliação e formação de professores.

 

GRUPO DE INTEGRAÇÃO SOCIOAMBIENTAL E EDUCACIONAL (GISAE)

Líder do grupo: Raimunda Kelly Silva Gomes

Possui as seguintes linhas de pesquisa:

  • Educação ambiental e populações tradicionais na Amazônia
  • Formação de educadores e interculturalidade na Amazônia
  • Políticas públicas de educação ambiental na Amazônia
  • Saberes tradicionais, meio ambiente e educação na Amazônia

 

GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM EDUCAÇÃO NA AMAZÔNIA AMAPAENSE (GEPEA)

Líder do grupo: Vitor Sousa Cunha Nery

O Grupo de Estudos, Pesquisas e Práticas em Educação na Amazônia Amapaense (GEPEA), foi criado em 21 de agosto de 2014, e está vinculado ao Curso de Licenciatura em Pedagogia da Universidade do Estado do Amapá-UEAP. O Grupo tem como objetivo realizar estudos, atividades de ensino, pesquisa e extensão, produzindo conhecimentos sobre as realidades da educação escolar e não escolar de populações da Amazônia Amapaense. É formado por uma equipe de pesquisadores, composta por profissionais da UEAP, e por discentes regularmente matriculados. Também conta com a parceria interinstitucional de pesquisadores da Universidade Federal do Amapá – UNIFAP; Universidade Federal do Pará – UFPA; Universidade do Estado do Pará-UEPA e Universidade Federal do Maranhão-UFMA. Atua comprometido ético-politicamente com grupos sociais menos privilegiados, visando à inclusão social. Em relação aos discentes, objetiva contribuir com a formação de pesquisadores e educadores pactuados com a melhoria da qualidade social da educação.

Possui as seguintes linhas de pesquisa:

  • EJA, educação popular Freireana e Formação de Professores;
  • História, Educação e Diversidade na Amazônia;
  • Educação, Interculturalidade e Educação.

DOCENTES DO CURSO DE PEDAGOGIA

André Lins de Melo ( http://lattes.cnpq.br/3236864772096098)

Professor Assistente no colegiado de Pedagogia da Universidade Estadual do Amapá. Possui graduação em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Federal do Amapá (2007), graduação em Licenciatura e Bacharelado em História pela Universidade Federal do Amapá (2008) e Pós-Graduação lato sensu em Docência do Ensino Superior pela Faculdade de Tecnologia do Amapá-META (2011). É mestre em Desenvolvimento Regional, com objeto de estudo na área de educação, pelo Curso de Mestrado em Desenvolvimento Regional da Universidade Federal do Amapá (2013). Atuou como professor da educação especial do Governo do Estado do Amapá na área de deficiência auditiva. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em História da Educação, Política e Gestão Educacional, gestão de sistemas de ensino, trabalho e educação, trabalho docente e financiamento da educação básica e superior.

Ângela do Céu Ubaiara Brito (http://lattes.cnpq.br/2696181179461504)

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo- USP (2013), Mestre em Direito Ambiental e Políticas Públicas pela Universidade Federal do Amapá- UNIFAP (2008) e graduada em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Federal do Amapá- UNIFAP (1999). Líder do Grupo de Pesquisa Ludicidade, inclusão e Saúde (LIS). Membro do Grupo de Pesquisa Contextos Integrados de Educação Infantil, da Faculdade de Educação da USP (FEUSP). Consultora pedagógica em unidade escolar pública e privada. Avaliadora de projetos educacionais a nível de extensão e especialização do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC). Atualmente é professora da Universidade do Estado do Amapá, atua no Colegiado de Pedagogia (UEAP). Presidente da Comissão Própria de Avaliação da Universidade do Estado do Amapá. Coordenadora dos Projetos de Extensão Formação do Educador da Infância (início em 2015); Ludicidade e Saúde (desde de 2014). Coordenadora da Brinquedoteca da Universidade do Estado do Amapá. Autora do livro Práticas de Mediação e o Brincar na Educação Infantil (ISBN: 978-85-8148-830-1) publicado pela editora Paco/SP2015. Tem experiência na área de Pesquisa da Infância e Educação Básica atuando, principalmente, nos seguintes temas: alfabetização e letramento, Jogos, brinquedos e brincadeiras, Formação de Professores e Política Públicas para a Infância. 

Antonia Fladiana Nascimento dos Santos (http://lattes.cnpq.br/8754610469404327)

Especialista na área de Coordenação pedagógica pela Instituto de Ensino Superior do Amapá (IESAP). Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (2002). Atualmente é professora efetiva da Universidade do Estado do Amapá. Estuda sobre o Currículo para educação superior e básica. Coordenadora do Curso de extensão voltado para discutir a temática de avaliação e Ludicidade. Pesquisadora do grupo de pesquisa: Ludicidade, Inclusão e Saúde (LIS) da Universidade do Estado do Amapá. Chefe da Unidade de Currículos e Disciplina da UEAP (UCD). Atua como professora orientadora dos alunos do PIBID. Tem experiência na área de Ensino fundamental e coordenação pedagógica, Currículos e Programas, avaliação e Formação de professores.

Brigida Ticiane Ferreira da Silva (http://lattes.cnpq.br/2201740919696222)

Possui Licenciatura em Pedagogia pela Universidade do Estado do Pará – Belém (1996), Especialização em Psicopedagogia pela Faculdade Plinio Augusto do Amaral, Amparo – São Paulo (1998), Mestrado (2003) e Doutorado (2009) em Ciências da linguagem pela Universidade de Franche-Comté (França) na área da didática do ensino-aprendizagem com enfoque nas representações sociais, objeto de estudo interdisciplinar (psicologia social e sociologia), Pós-Doutorado (2013) pela Universidade de Friburgo (Suiça) na área da socio-antropologia da imigração com enfoque nas reconstruções identitárias de imigrantes a partir de histórias de vida. Atuou como professora de Educação Especial (Deficiência Auditiva)) e de Língua Francesa no Governo do Estado do Amapá. Atuou também como professora de Francês Língua Estrangeira (FLE) na Université de Franche-Comté – França (2011-2012) e de Português Lingua Estrangeira (PLE) no Centre de Linguistique Appliquée de Besançon –  França. Lider da linha de pesquisa : Educação, Diversidade e Interculturalidade do GEPEA – UEAP. Membro Associado do grupo de pesquisa : Migration, Interculturalité et Education en Amazonie (MINEA) da Universidade da Guiana Francesa. Autora do livro: Le proche lointain et le lointain proche. Représentations des enseignants brésiliens de FLE sur la Guyane voisine, publicado em 2012 pela Editora Peter Lang (Berna, Suiça). Possui artigos publicados em revistas de vários países: França, Canada, Brasil, Suiça e Chile. Suas pesquisas tem como foco temas multidisciplinares, como por exemplo : Educação, cultura e diversidade ;  Educação

Danielle Dias da Costa (http://lattes.cnpq.br/0432236789229270)

Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal do Amapá e Bacharel em Letras pelo Instituto de Ensino Superior do Amapá. Mestre em Desenvolvimento Regional (UNIFAP). Doutoranda em Educação em Ciências e Matemática (UFPA/UFMT). Docente no Curso de Pedagogia, da Universidade do Estado do Amapá (UEAP). Participei da criação do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência (PIBID/UEAP), como Coordenadora de área e de Processos Educacionais. Presidiu, como Vice-Presidente a Comissão Permanente de Pessoal Docente (CPPD/UEAP – 2014-2015). Autora do Livro “PROUNI: Acesso e Permanência na Educação Superior” (2015), publicado pela EdUNIFAP. Atualmente faz parte do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Cultura e Subjetividade, desenvolvendo pesquisa na linha de pesquisa de formação de professores e currículo.

Elice Martins Nobre (http://lattes.cnpq.br/4613085929615937)

Possui graduação em PEDAGOGIA pela Universidade Federal do Amapá (2001) em DIREITO pelo Centro de Ensino Superior do Amapá (2008). Advogada, atuante em Direito Tributário, Administrativo e Penal. Especialista em Psicopedagogia (Faculdade FAMA) e Gestão Escolar (UNIFAP). Atualmente é Professora Efetiva no Curso de Pedagogia da UEAP. Mas já atuou como Supervisora de programas federais no Ministério da Educação e Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Especialista em Educação (Pedagoga) na Secretaria de Estado da Educação, Professora bolsista do Parfor pela Universidade do Estado do Amapá (UEAP). Bolsista no Programa PRONATEC. Tem experiência em gestão pública, gestão de processos, Administração de Sistemas Educacionais e Legislação Educacional.

Heryka Cruz Nogueira (http://lattes.cnpq.br/0404167277118042)

Doutoranda em Educação pela Universidade Nove de Julho – UNINOVE – SP, Mestre em Educação pela Universidade Federal do Pará – UFPA, Especialista em Planejamento e Políticas Educacionais pela Universidade Regional do Cariri – URCA – Ceará e Licenciada em Pedagogia pela Universidade Regional do Cariri – URCA. Pesquisa atualmente, sobre a internacionalização do ensino superior e as políticas de gestão da educação na Amazônia a partir do Plano de Desenvolvimento da Educação – PDE, do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação, Plano Nacional de Educação – PNE e do Plano de Ações Articuladas – PAR.

 

Izaias Loureiro Tavares (http://lattes.cnpq.br/5288454243361069)

Professor Especialista vinculado ao Colegiado de Pedagogia da Universidade do Estado do Amapá – UEAP na área de Educação a Distância e Informática Aplicada a Educação. Ocupa o cargo de Chefe da Divisão de Registro e Controle Acadêmico e Pesquisador Institucional na mesma IES desde 2015. Foi Coordenador Pedagógico na Rede Pública de Ensino do Estado do Amapá na Escola Estadual Professora Maria Iraci Tavares (Ferreira Gomes/AP) no biênio 2013-2014. Possui Licenciatura Plena em Pedagogia com Habilitação em Magistério dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental e Administração Educacional pelo Instituto de Ensino Superior do Amapá – IESAP e Especialização em Docência no Ensino Superior pela Faculdade META.

Kátia Paulino dos Santos (http://lattes.cnpq.br/9524852108899493)

Doutora em Gestão pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro de Portugal (2017), Mestre em Planejamento e Políticas Públicas pela Universidade Estadual do Ceará – UECE (2010) e Bacharel e Licenciada em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Amapá – UNIFAP (2005). Atualmente é Professora do quadro efetivo da Universidade do Estado do Amapá (UEAP), vinculada ao Colegiado de Pedagogia, atuando nas Disciplinas Educação, Diversidade e Interculturalidade; Educação em Comunidades Afrodescendentes; Educação e Relações Étnico-Raciais; e Introdução à Sociologia. Na UEAP compõe a Comissão Própria de Avaliação – CPA e Coordena o Curso de Especialização em Gestão Pública. Atua também como professora no Centro de Ensino Superior do Amapá (CEAP), nos Cursos de Direito, Design e Engenharia Civil, ministrando as disciplinas Ciência Política e Teoria do Estado, Direito das Minorias, Metodologia Científica e TCC. Tem experiência no Planejamento de Políticas Públicas e Docência do Ensino Superior.

Leslie Jovana Silva Santos (http://lattes.cnpq.br/1736591406307602)

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade do Estado de Santa Catarina (2007), Complementação de Estudos pela Universidade de Tocantins (2008), Especialização em Educação Especial e em EaD e as Novas Tecnologias pela Faculdade Educacional da Lapa. Podendo atuar na Educação Básica, Educação Especial, Educação a Distância, Gestão, Supervisão e Orientação Educacional. Tenho experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Especial, orientação de estágio, TCC, educação a Distância, atuando principalmente nos seguintes temas: processo ensino-aprendizagem, gestão educacional, professor, ensino a distância e afetividade.

 

Manoel Lourenço da Cruz Morais (http://lattes.cnpq.br/6261123655091559)

Possui Especialização em Ciência Política e Metodologia do Ensino da Educação Superior Facinter/Fatec; graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Amapá (2008) e graduação em Ciências Sociais pela Faculdade de Macapá (2009). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino-Aprendizagem.

Márcio Moreira Monteiro (http://lattes.cnpq.br/4679667987514269)

Possui graduação em Licenciatura Plena em Pedagogia pela UNAMA – Universidade da Amazônia (1995); Graduado em Direito pela FAMA – Faculdade de Macapá (2011); Advogado OAB/AP nº 2059; Especialista em Psicopedagogia pela Facinter – Faculdade Internacional de Curitiba; Mestre em Planejamento e Políticas Públicas pela UECE – Universidade Estadual do Ceará; Doutorando em Educação em Ciências e Matemática – PPGECEM – REAMEC. Ocupou o cargo de pró-reitor de graduação no período de 27 de fevereiro a 30 de novembro. Atualmente é professor efetivo da Universidade do Estado do Amapá – UEAP, tendo ampla experiência em educação, principalmente na formação de professores da Educação Básica ao Ensino Superior, assim como, na elaboração de projetos com eixo em políticas públicas educacionais.

Marcio Andrade dos Santos (http://lattes.cnpq.br/6897518327630447)

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade do Estado do Amapá (2013) e especialização em Docência na Educação Superior pelo Instituto de Ensino Superior do Amapá(2014). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação de Jovens e Adultos, atuando principalmente no seguinte tema: formação de professores.

Marina Lemes Landeiro (http://lattes.cnpq.br/3023884579392665)

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Goiás (2008). Mestrado em Sociologia (2012) pela mesma instituição em cooperação acadêmica com a Universidade Estadual de Campinas. É docente na Universidade do Estado do Amapá e atualmente trabalha no Departamento de Pesquisa de Opinião Pública da Secretaria Especial de Comunicação Social/Presidência da República. Tem experiência na área de Sociologia do Trabalho, atuando principalmente nos seguintes temas: trabalho em serviços, identidade social, cultura do trabalho, interação social, trabalho e subjetividade. Também tem experiência na área da Sociologia da Educação, atuando nos seguintes temas: socialização, trabalho e formação, reprodução social e formação de professores.

Pedro Correia de Souza (http://lattes.cnpq.br/2941091069089268)

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Amapá (2007). Especialização em Gestão do Trabalho Pedagógico. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Permanente. Atuação na área de Educação Ambiental em Reserva Extrativista, Unidade de Conservação e Assentamentos Agroextrativistas. Atuou nas Escolas Famílias do Estado do Amapá como fundador, Gerente do Núcleo de Educação do Campo pela Secretaria de Estado da Educação – SEED – AP, Professor Especialista em educação da Universidade do Estado do Amapá aprovado em processo seletivo em 2014 na área de Pedagogia em Ambiente não Escolares; atuação como Chefe da divisão de Apoio ao Ensino – DAE da Universidade do estado do Amapá no período de julho de 2014 a janeiro de 2015; atual coordenador do Curso de Pedagogia da Universidade do Estado do Amapá – AP do Programa Nacional de Formação de Professores – PARFOR, participante como avaliador em bancas de concurso público da Universidade do estado do Amapá – UNIFAP; atuação em bancas de processo seletivo para professores substituto da Universidade do Estado do Amapá – UEAP; orientador e avaliador de Trabalho de Conclusão de Curso dos curso de Pedagogia e membro do Núcleo Docente Estruturante – NDE/UEAP. 

Raimunda Kelly Gomes Silva (http://lattes.cnpq.br/1668096856877502)

Doutora em educação, pela universidade Federal do Pará. Tem experiência na área de Educação Ambiental, Gestão escolar, educação do campo, zoneamento ecológico econômico e de Ecologia de Ecossistemas Costeiros e Estuarino, atuando na Zona Costeira Amazônica. Atualmente é docente da Universidade do Estado do Amapá, curso de licenciatura em Pedagogia, onde vem desenvolvendo atividades de pesquisa e extensão universitária, como líder do grupo de integração socioambiental e educacional (GISAE). Além disso, orienta iniciação cientifica, com estudos voltados as questões socioambientais e educacionais no Estado do Amapá

Raimundo Barbosa da Silva Filho (http://lattes.cnpq.br/4362312614446033)

Professor e Palestrante “Comportamento humano e motivação para o Trabalho”. É professor no Inst. Macapaense de Ensino-IMMES, na componente: Metodologia científica. Foi professor formador do Instituto Federal do Amapá. Voluntário como Palestrante do componente Relações Interpessoais/SENASP, desde 2009. Atuou como Professor da Universidade do Estado do Amapá/UEAP, nos COMPONENTES: Didática, Prática Pedagógica, Estágio Supervisionado, História da Educação, TCC II, Plan. Educ. na Educação Infantil, Orientação Educacional. Foi professor da Faculdade Atual/AP nas componentes: DIDÁTICA (graduação) e DIDÁTICA E METODOLOGIA DO ENSINO SUPERIOR (Pós-graduação). É Bolsista do CAPES/PAFOR/UEAP/2014). Foi professor de Educação Profissional do SENAI/AP no nível Técnico – áreas de Administração Empresarial, contabilidade e Gestão de Pessoas. FORMAÇÃO ACADÊMICA: MBA em Gestão Empresarial/ESTÁCIO; Espec. em Educação Especial e Inclusiva/UNINTER; Especialista em Psicopedagogia Instituciona/META; Licenciatura Plena em Formação Pedagógica em Educação Profissional/UNISUL. Contabilista/Instituto Getúlio Vargas. Licenc. Plena em Pedagogia/UFPA. Algumas atuações anteriores: Diretor de Escolar, Administrador de Empresa, Coordenador Pedagógico

Valeria Silva de Moraes Novais(http://lattes.cnpq.br/6595236046950756)

 

Doutoranda em Educação pela UFPA, Mestre em Educação pela Universidade Federal do Pará e Graduada em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Federal do Pará – UFPA. . Atualmente é Professora Assistente da Universidade do Estado do Amapá (UEAP). É pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Educação Superior – GEPES/UFPA, desenvolvendo pesquisas sobre Expansão e financiamento da educação superior, do Grupo de Estudos, Pesquisas e Práticas em Educação na Amazônia (GEPEA/UEAP) investigando políticas e gestão na educação na Amazônia e do Grupo de Estudos e Pesquisa Marxismo, Trabalho e Política Educacional (GEMTE/UNIFAP)

Vitor Sousa Cunha Nery (http://lattes.cnpq.br/9251181951280163)

Doutorando em EDUCAÇÃO na Linha de Educação, Cultura e Sociedade (UFPA, 2016), Mestre em EDUCAÇÃO na modalidade sanduíche (UEPA/PUC-Rio, 2013), Especialista em GESTÃO ESTRATÉGICA DO CONHECIMENTO (UEPA, 2011), Graduado em Licenciatura Plena em PEDAGOGIA (UEPA, 2010) e Tecnologia em GESTÃO PÚBLICA (UNAMA, 2009). Atualmente atua como Professor efetivo da Universidade do Estado do Amapá (UEAP). Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação na Amazônia Amapaense (GEPEA-UEAP), Integrante do Núcleo de Estudos e Documentação em História da Educação e das Práticas Leitoras no Maranhão (NEDHEL). Representante docente no Conselho Universitário-CONSU da UEAP. Associado a ANPEd (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação) e a SBHE (Sociedade Brasileira de História da Educação).

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: